Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Skin Game

Blogue português escrito por uma profissional de farmácia e dedicado à dermocosmética.

Protecção solar em bebés

Saber por onde começar neste post não é fácil. Este tema foi-me sugerido por uma seguidora no IG porque parece não haver consenso entre pediatras no que toca a protecção solar no primeiro ano de vida. E o problema maior é que eu fartei-me de procurar artigos que me sustentassem uma opinião perfeitamente fundamentada, mas eles não existem - daí as várias opiniões de médicos. Vamos por partes.
 
Medidas de protecção solar em bebés
 
O consenso generalizado é que durante os primeiros 6 meses o bebé não deve ser exposto a luz solar directa. Se formos para as recomendações australianas, este número duplica e passa a 12 meses. A isto alia-se uma série de recomendações adicionais de protecção:
- não sair com o bebé durante as horas de maior calor;
- proteger sempre o bebé com roupa fresca que cubra a maior área possível de pele;
- colocar chapéu de abas largas e óculos de sol ao bebé;
- programar as actividades fora de casa para horas de menor calor;
- usar sempre coberturas em deslocações no carrinho, mas que não cubra completamente o ovo de forma a não gerar efeito de estufa;
- evitar áreas com muita reflexão de luz solar (areia, piscina, mar).
 
Ora, isto é tudo muito giro e bonito, mas nem sempre dá para cumprir. Claro que como pais temos de tentar ao máximo evitar a exposição solar e se calhar temos de assumir que no primeiro ano de vida não há férias na praia ou piscina e acabou, mas a vida também acontece das 11h às 16h e por vezes não dá para evitar sair a essas horas com o bebé.
 
Protectores solares em bebés
 
Para quem não sabe, existem protectores solares minerais e orgânicos. Para saberem mais sobre o assunto, PF leiam este post.
 
No geral a recomendação é que antes dos 6 meses não se use protector solar por causa da capacidade de absorção da pele do bebé e que a partir daí e até aos dois anos seja aplicada protecção solar mineral.
 
Corri vários consensos à procura de citações de artigos que suportassem a utilização de um ou outro tipo de protecção, mas não existem. Pelo que consigo perceber, a sugestão de utilização de protecção exclusivamente mineral passa mais por um hábito e conhecimento geral do que propriamente por investigação devidamente feita. Aquilo que consigo perceber é que as recomendações ainda se prendem muito à questão das alergias a protectores orgânicos, coisa que hoje em dia na Europa já está desactualizada porque a protecção solar avançou muito nas duas últimas décadas. Por outro lado, também não vos consigo garantir a 100% que faz sentido usar um protector que combine ambos porque não encontro estudos nesse sentido. Sei que a La Roche-Posay tem o único protector para bebé que não é exclusivamente mineral do mercado e eles fazem uma campanha gigante a promover os benefícios da protecção combinada (incluindo com vídeos de dermatologistas que recomendam que sejam usados ingredientes minerais e orgânicos). Contudo procurei por estudos com os ingredientes de protecção solar mais comuns e recentes e não encontrei nada relativo a bebés. As únicas diretrizes que encontro vão no sentido de evitar octocrileno, retinyl palmitate e avobenzona, enqua to referem que os ingredientes mais recentes não terão o mesmo problema de absorção que estes ingredientes, mas também não confirmam que poderão ser usados.
 
Quanto às idade em que se começa a usar protector, também sei que há divergências. A verdade é que apesar de não estarem recomendados antes dos seis meses de forma a não irem contra as guidelines, a maioria dos protectores é testada a partir dos 3 meses. Isto significa que em situações especiais e sob orientação do médico, o protector pode ser aplicado antes dos 6 meses. Tanto quanto percebi não existe razão para atrasar o uso da protecção solar até aos 12 meses como sei que alguns médicos aconselham.
 
Recomendação de protectores
 
Basicamente é optar por um que diga que pode ser usado a partir dos 6 meses, que é resistente à água e com SPF50. As sugestões são quase todas minerais, excepto o da LRP.

solares-bebe.PNG

Bioderma Photoderm Mineral SPF50+ [comprar]

ISDIN Pediatrics Fusion Fluid Mineral Baby SPF50+ [comprar]

Sesderma Repaskin Pediatrics Mineral Baby SPF50+

Heliocare 360 Pediatrics Mineral SPF50+

Uriage 1er Mineral Cream SPF50+ [comprar]

La Roche-Posay Anthelios Dermo-Pediatrics Baby Lotion SPF50+ [comprar]

Suplementos e exposição solar

sol suplemento.PNG

 

Não é habitual eu falar em suplementos por aqui, mas este tema foi sugerido no Instagram e achei que fazia sentido falar dele agora. Existem vários suplementos no mercado que prometem ajudar a pele a bronzear e a reduzir a sensibilidade à exposição solar, por isso vamos dar uma vista de olhos ao que existe no mercado e aos estudos feitos.

Para começar naquilo que mais interessa, sim, estes suplementos são uma boa ideia. Pessoalmente nunca hei-de compreender a necessidade de ficar o mais moreno possível, mas embora estes suplementos tenham efectivamente a função de ajudar a bronzear, acho mais significativa a outra função - ajudar a reduzir a sensibilidade à exposição solar.
 
Existem vários estudos feitos sobre isto, mas no geral estes suplementos reduzem o eritema solar, o stress oxidativo e a erupção solar polimórfica (alergia ao sol). Portanto para quem habitualmente queima facilmente ou tem reacção exagerada à exposição solar esta é definitivamente uma alternativa viável.
 
A grande maioria dos estudos debruça-se sobre combinações de antioxidantes, nomeadamente vitaminas C e E, licopeno e beta-caroteno. Contudo, há outos ingredientes interessantes como o Polypodium leucotomos usado pela Heliocare que tem vários estudos que comprovam a sua eficácia. Notem que estes suplementos não substituem a protecção solar e devem ser usados como complemento. Idealmente devem ser iniciados 15 dias antes da exposição solar e devem ser mantidos durante o verão. As pessoas que habitualmente sofrem de melasma devem evitar estes suplementos, pois podem agravar a condição. Existe um produto da Esthederm chamado Bronz Impulse que ajuda a fazer este tipo de protecção adicional de forma tópica e assim não agrava as manchas desde que não seja aplicado no rosto.
 
Apenas uma ressalva: convém que não usem estes suplementos caso sejam fumadores que fumam mais de meio maço de tabaco por dia, pois nesta situação específica os antioxidantes deixam de ser eficazes e podem mesmo tornar-se pró-oxidantes.
 
No geral o suplemento que mais recomendo é o da Heliocare. Contudo, tenho também óptimo feedback do da Lierac e o da Bioderma.

Produtos para poros dilatados

Já perdi a conta ao número de vezes que este post me foi pedido, e a razão pela qual demorou tanto tempo é simples: não há muito que se possa fazer em relação a poros dilatados.. Contudo, considerando que há algumas coisas que talvez possam produzir algum efeito nalgumas pessoas, decidi que era desta que escrevia o post. Mas, primeiro, vamos a um bocadinho de matéria teórica para perceberem alguns conceitos essenciais.

 

Poros dilatados - porque aparecem

Os poros são as aberturas para o exterior das glândulas sudoríparas ou sebáceas ou os orifícios dos folículos pilosos. Ao contrário do que dita o senso comum, os poros não abrem nem fecham, apenas podem ficar mais ou menos dilatados. Existem três razões diferentes pelas quais os poros ficam dilatados:

  1. excesso de secreção sebácea, geralmente associada a uma alteração da composição do sebo (maior secreção de ácidos oleico e palmítico) - principalmente na zona do nariz
  2. perda de colagénio e elastina na derme subsequente ao envelhecimento, com alteração da forma do poro de cónica para elíptica - principalmente nas bochechas
  3. queratinização acelerada, com acumulação de células nucleadas à volta dos poros, subsequente a inflamação ou alteração da composição do sebo.

 

Como reduzir a dilatação dos poros

Dadas as condições que levam à dilatação dos poros, o ideal num produto que pretende reduzir a visibilidade dos poros é que reduza ou adsorva o sebo, que melhore a qualidade do sebo e que estimule a matriz dérmica a produzir colagénio e elastina. Apesar de não haver consenso, aguns dos ingredientes que parecem funcionar são o ácido salicílico, niacinamida, retinol e esqualano (não confundir com esqualeno, que é comedogénico). O bakuchiol também parece ter efeitos na redução da visibilidade dos poros.

 

Produtos recomendados - pele jovem e resistente

poros1.PNG

Sesderma Acnises Young Gel Cream

Martiderm Acniover Cremigel Activo [comprar]

NeoStrata Salizinc [comprar]

Lierac Sébologie Lotion [comprar]

Caudalie Vinopure Lotion [comprar]

Sesderma Salises Moisturizing Gel [comprar]

Filorga Oxygen-Peel [comprar]

Paula's Choice Clear Anti Redness Exfoliating solution Extra Strength

The Ordinary Salicylic Acid 2%

 

Produtos recomendados - pele madura

poros2.PNG

Sesderma Sesretinal Facial Gel Cream 

Sesderma Retises 0.25% Gel [comprar]

Paula's Choice 1% Retinol Booster

Indeed Labs Retinol Reface

Sesderma AcGlicolic S [comprar]

NeoStrata Gel Forte Salicílico [comprar]

Paula's Choice Resist Daily Pore Refinement Treatment 2% BHA

The Ordinary Granactive Retinoid in Squalane

 

Produtos recomendados - pele sensível

poros3.PNG

SVR Sebiaclear Active [comprar]

Paula's Choice 10% Niacinamide Booster

SVR Sebiaclear Serum [comprar]

Indeed Labs Squalane Facial Oil

Martiderm Acniover Serum [comprar]

The Ordinary 100% Plant-Derived Squalane

The Ordinary Niacinamide 10% + Zinc 1%

Shiseido Waso Fresh Daily Lotion 

Esthederm Pure System Pore Refiner [comprar]

O que usar numa cicatriz

Já tinha este post há muito tempo na calha, porque é uma questão muito frequente. Para começar, tenham em conta que este post não substitui a recomendação do médico que vos acompanha.

Por norma, as recomendações de dermatologistas para cicatrizes são as seguintes:

  • utilizar um penso ou gel à base de silicones para prevenir perda de água (que pode levar a cicatrizes hipertróficas ou quelóides)
  • evitar a exposição solar de modo a prevenir a hiperpigmentação da cicatriz
  • utilização de hidratantes para ajudar a regenerar a pele

Existem opção invasivas, como a crio ou radioterapia ou laser, que podem ser adoptadas pelo dermatologista, mas que por razões óbvias não vão ser discutidas aqui.

 

Assim, deixo-vos algumas sugestões de produtos que podem ser adoptados na gestão de cicatrizes e prevenção da formação de cicatriz hipertrófica ou quelóide (com relevo).

cicatrizes-produtos-usar.PNG

  • Sesderma Cicases WH - um creme à base de silicones, com factores de crescimento para ajudar à reepitelização da pele
  • Kelo-Cote Gel - um gel de silicone puro, que forma um filme à superfície da pele para formar uma película protectora (é o standard das recomendações)
  • La Roche-Posay Cicaplast B5 Gel - um gel de silicone que acelera a reparação da pele
  • A-Derma Epitheliale A.H. Duo - um creme fluido que ajuda a pele a cicatrizar melhor
  • Bioderma Cicabio SPf50+ - um protector solar com acção reparadora
  • Sesderma Sodyses - não se encontra à venda em Portugal, mas é o único produto para o qual já vi resultados em cicatrizes quelóides já formadas