Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Skin Game

Blogue português escrito por uma profissional de farmácia e dedicado à dermocosmética.

Review: Isdin Woman Isdin Antiestrias

woman-isdin-antiestrias.jpg

 

Tipo de produto: hidratante de corpo

Função: prevenção de estrias

Ingredientes principais: centelha asiática, rosa mosqueta, manteiga de shorea

Quando usar: manhã e noite

Textura: creme

Embalagem: tubo

Quantidade: 250ml

Preço: 35€

Onde comprar: farmácias, Skin

 

Neste momento estou a visualizar as minhas colegas de trabalho a levarem as mãos à cabeça e dizerem que sou maluca, porque hoje é literalmente o primeiro dia em que estou de baixa em casa e ainda de manhã estive no centro de saúde para me passarem a baixa e depois no escritório. Sim, meninas, já escrevi um post e ainda só vou em cerca de 4h de baixa. Não, eu não consigo estar quieta e sossegada, mas isso não é novidade para ninguém.

 

Bem, passemos ao que interessa, a review do produto. Primeiro que tudo, há que referir que este é o novo nome de um produto Isdin que existia já há largos anos, o Velastisa Antiestrias. E se existe um Guiness Book para mudanças parvas de nome, aposto que este produto está lá registado nas primeiras páginas. Mas se antigamente usavam e gostavam do Velastisa, então podem ir sem problemas para esta nova apresentação, porque a fórmula manteve-se.

 

Em relação ao produto propriamente dito, sempre foi este o produto que recomendei a todas as "minhas" grávidas e o feedback que tinha delas foi sempre, sempre muito positivo. Quando soube que estava grávida, comprei imediatamente duas embalagens, mas confesso que a minha esperança estava bastante em baixo. Há pessoas que têm tendência para ter estrias, e eu sou uma delas. Tenho uma linda colecção nas coxas que se assemelham ao mapa das estradas de Portugal, outras tantas espalhadas por sítios giros como os braços, mamas e atrás dos joelhos. Avancemos para os meus actuais 8 meses de gravidez e o meu estado de pessoa redonda. Barriga e coxas sem estrias novas. Nem uma. É certo e sabido que eu ando a aplicar quantidades generosas do hidratante à noite, em parte porque não quero estrias, em parte porque sei que de manhã não vai acontecer, mas não há estrias novas.

 

O creme em si tem uma textura mesmo muito agradável, um aroma muito suave e nada incomodativo e a absorção é bastante rápida a menos que "tomem banho nele" como eu fiz. Gostei particularmente do facto da textura cremosa facilitar muito a massagem, mas não ficar com um filme chato na pele que depois faz com que vestir roupa se torne desagradável ou difícil (e uma pessoa grávida já tem dificuldades suficientes ao tentar vestir-se, obrigada).

 

Apesar de saber que o preço é puxado, também sei que muitos outros anti-estrias não têm este nível de eficácia, portanto havendo a possibilidade de pagar por este produto, é sem dúvida nenhuma a minha recomendação.

Rotina actual - gravidez

Vamos a meio da gravidez e já consigo ser de novo uma pessoa funcional. Não que esteja cheia de vontade de dedicar imenso tempo à minha rotina, porque ela agora também passou a incluir espalhar creme anti-estrias pela barriga fora (estou com o Woman Isdin, que é o pior novo nome que podiam ter dado ao Velastisa, mas gosto mesmo do produto e é o único em que confio).

rotina.PNG

 

A minha pele passou do caos oleoso que era antigamente, com borbulhas quase permanentes ou pelo menos garantidas na TPM, para uma pele relativamente normal com tendência a oleosidade na zona T. Como tenho um medo de morte de cloasma gravídico aquilo que nunca descurei, mesmo nos momentos em que só queria dormir o dia todo, foi o protector solar - a minha escolha continua a recair no Fusion Water da Isdin, mesmo 3 anos depois da review que escrevi dele a dizer que era o melhor protector de sempre. Por medo do cloasma gravídico, descontinuei também os ácidos durante o verão e ainda não me dei ao trabalho de os voltar a incluir na rotina, mas deverá estar para breve (vou voltar ao Pixi Glow Tonic quando o fizer).

 

sérum da Esthederm continua a ser o meu favorito para aplicar logo depois da limpeza com o Clinique Take the Day Off e optei por um creme de olhos simples no Glicare da Sesderma. Entretanto descobri que aquilo que realmente me convence a ter uma rotina são pequenos momentos de prazer, e a nova linha da Nuxe veio contribuir em grande escala para eu voltar a ter uma rotina - eu juro que me dou ao trabalho de ter a rotina completa só para poder acabar com os produtos desta gama. A fragrância, que foi sempre uma coisa maioritariamente irrelevante para mim, agora é o que me faz ter vontade de ter uma rotina - aplico o booster em todo o rosto e por fim termino a rotina com o bálsamo na zona das maçãs do rosto. 

 

Como os cuidados de rosto não andavam propriamente numa rotina, optei por incluir máscaras nos meus fins de semana, geralmente com a máscara de argila da Jowaé por ser a única máscara de argila que gosto de usar (tem uma textura de mousse super leve e fácil de espalhar e remover) e descobri finalmente uma máscara hidratante que parece ser perfeita para mim com a Sleep Mask da Uriage.

Notas soltas: e o que é que fazes da vida, Ana?

Eu acho que prometi este post há coisa de um ano, mas por esta altura já devem ter reparado que não sou a pessoa com o maior à-vontade do mundo para falar da sua vida. Metam-me a falar de dermocosmética e eu não me calo durante 6h seguidas, mas esta coisa de partilhar a vida privada online não me assiste muito. Por outro lado, como sei que há muitas perguntas sobre aquilo que faço, se faço atendimento ao público nalgum sítio e de pedidos de dicas sobre como aprender mais sobre a área, vamos lá a isto.

 

Percurso profissional

Ora portanto, para começar, eu sou licenciada em Farmácia. Inicialmente o bicho meteu-se-me na cabeça porque em 2000 estreou o CSI e eu descobri que a Toxicologia era uma área das ciências farmacêuticas (não, não estou a brincar). Entretanto meti-me no curso e percebi que não ia acontecer, mas fiquei a gostar mesmo muito de farmácia comunitária e achei que tinha descoberto o sonho da minha vida.

Entretanto o panorama da farmácia mudou mesmo muito - com o aparecimento dos medicamentos genéricos, da possibilidade dos donos serem outra coisa que não farmacêuticos, a mania do doutor Google e a crise económica de 2008 - e foi com grande tristeza que percebi que as equipas das farmácias tinham perdido a confiança e o respeito dos utentes (algumas com razão, outras por mera estupidez alheia, porque as pessoas continuam a achar que quem trabalha em farmácia está ali para suprir os desejos de quem vai comprar coisas e não tem direito a opinar sobre o assunto ou não fornecer medicação - newsflash não estamos ali para encher sacos e fazer trocos, gente). Desencantei-me da farmácia comunitária gradualmente e também gradualmente fui ficando a perceber que a dermocosmética me interessava cada vez mais.

Para quem não sabe (e para quem me perguntou por que é que não exerço na minha área), a dermocosmética também é uma área das ciências farmacêuticas. Por essa altura já tinha um blogue há alguns anos em que falava do tema porque simplesmente sempre tive uma pele complicada e fui pesquisando cada vez mais para tentar resolver os meus próprios problemas. Acabei por fechar esse blogue e abri este, completamente dedicado a todo o mundo da dermocosmética. Falo do blogue no percurso profissional porque foi ele que me abriu as portas aos meus dois empregos na área.

Ao contactar a YOUTH LAB. para ter mais algumas informações sobre a marca para poder verificar se era ou não interessante para falar no blogue, foi-me oferecido emprego. Acabei por me tornar formadora da marca durante cerca de ano e meio (entretanto tinha tirado o CCP), até ter percebido que queria mais estabilidade na minha vida. Os dias de horas longas e viagens solitárias de muitas centenas de quilómetros acabaram por me ganhar, e comecei a pensar em procurar outra coisa.

Por indicação de uma ex-colega de curso que já trabalhava nessa empresa, soube que a Care to Beauty estava a pensar contratar alguém e enviei o meu CV. Uma semana depois tinha uma oferta de emprego em cima da mesa. Entrei como criadora de conteúdo (mas na verdade fazia muito mais coisas, porque éramos uma empresa mesmo pequena na altura) e estou actualmente como gestora de conteúdo. Portanto basicamente é isso que faço: sou a chefe de equipa dos conteúdos de uma loja online de dermocosmética, escrevo para o blogue da empresa e dou uma mãozinha no apoio ao cliente em casos mais específicos ou complicados de aconselhamento. Em SOS, faço mais uma série de outras coisas, porque apesar de termos crescido muito nos últimos dois anos, continuamos a não ser uma empresa gigante.

 

Como saber mais sobre dermocosmética

Vou ser muito honesta quando vos digo que não sei muito bem o que recomendar como começo. Sinceramente eu não me lembro bem como é que isto começou para mim, porque nunca começou como um objectivo claro, apenas como uma forma de tentar resolver os meus próprios problemas. Mas indico-vos algumas das coisas que fui fazendo ao longo dos anos.

  • Ir ao PubMed e procurar reviews recentes sobre as questões que acham que vos trazem mais dificuldades - ninguém tem paciência para começar a ler artigos de investigação a menos que esteja à procura de uma resposta muito específica. Existem imensas boas reviews de várias páginas sobre coisas como rosácea, acne, envelhecimento, protecção solar e outros que tais, para começar.
  • Requisitar livros de dermocosmética nas bibliotecas também é algo que sempre fiz, especialmente para questões mais complicadas para as quais não encontrava grande resposta online.
  • Procurar pós-graduações e formações na área dadas por entidades competentes como faculdades de farmácia ou institutos politécnicos. Não caiam no erro de pagar por toda e qualquer formação que vos apareça à frente dada por sabe-se lá quem e sem um plano de estudos bem apresentado, porque há muita gente neste mundo a tentar explorar a sede de conhecimento nesta área.
  • Perceber como é que os ingredientes encaixam com os produtos é outra questão premente. Por mais formações teóricas que façam, se não conseguirem transportar esse conhecimento para os produtos disponíveis perderam o vosso tempo. Leiam rótulos e listas de ingredientes, façam notas e tabelas (o meu documento sobre este assunto tinha cerca de 60 páginas).
  • Se puderem ir a formações de marcas, vão. Sim, todos sabemos que as formações são geralmente 90% de marketing, mas aqueles 10% em cada uma delas valem bem a pena se estão dedicados a aprender mais sobre o assunto.
  • Tentem experimentar e procurem feedback junto de quem puderem - entre amigos, família e utentes, reunir experiências com as quais possam aconselhar outras pessoas é uma óptima forma de construir uma base de dados mental sobre produtos.
  • Arranjem uma forma de mostrar aquilo que sabem. Este blogue sempre me serviu não como carreira, mas para mostrar a possíveis futuros empregadores aquilo que eu posso fazer numa. E por duas vezes já me valeu bem todo o esforço e as várias horas que dedico a ele.

 

No meio disto tudo não sei se isto foi útil ou não, mas espero que sim. A dermocosmética não era o meu sonho e não trabalhei nesse sentido até muito recentemente, por isso não vos posso garantir como é que um esforço dedicado à área pode ou não dar frutos. Na verdade eu sinto que fiz metade da minha sorte nos últimos tempos e a outra metade caiu-me no colo e acho sempre que acaba muito por passar por aí: sorte e trabalho. Portanto boa sorte a quem quiser seguir a área e, sem dúvida, trabalhem muito nesse sentido.

O que usar numa cicatriz

Já tinha este post há muito tempo na calha, porque é uma questão muito frequente. Para começar, tenham em conta que este post não substitui a recomendação do médico que vos acompanha.

Por norma, as recomendações de dermatologistas para cicatrizes são as seguintes:

  • utilizar um penso ou gel à base de silicones para prevenir perda de água (que pode levar a cicatrizes hipertróficas ou quelóides)
  • evitar a exposição solar de modo a prevenir a hiperpigmentação da cicatriz
  • utilização de hidratantes para ajudar a regenerar a pele

Existem opção invasivas, como a crio ou radioterapia ou laser, que podem ser adoptadas pelo dermatologista, mas que por razões óbvias não vão ser discutidas aqui.

 

Assim, deixo-vos algumas sugestões de produtos que podem ser adoptados na gestão de cicatrizes e prevenção da formação de cicatriz hipertrófica ou quelóide (com relevo).

cicatrizes-produtos-usar.PNG

  • Sesderma Cicases WH - um creme à base de silicones, com factores de crescimento para ajudar à reepitelização da pele
  • Kelo-Cote Gel - um gel de silicone puro, que forma um filme à superfície da pele para formar uma película protectora (é o standard das recomendações)
  • La Roche-Posay Cicaplast B5 Gel - um gel de silicone que acelera a reparação da pele
  • A-Derma Epitheliale A.H. Duo - um creme fluido que ajuda a pele a cicatrizar melhor
  • Bioderma Cicabio SPf50+ - um protector solar com acção reparadora
  • Sesderma Sodyses - não se encontra à venda em Portugal, mas é o único produto para o qual já vi resultados em cicatrizes quelóides já formadas