Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Skin Game

Protecção solar em bebés

valeria-zoncoll-AVGc87j_vNA-unsplash.jpg

Saber por onde começar neste post não é fácil. Este tema foi-me sugerido por uma seguidora no IG porque parece não haver consenso entre pediatras no que toca a protecção solar no primeiro ano de vida. E o problema maior é que eu fartei-me de procurar artigos que me sustentassem uma opinião perfeitamente fundamentada, mas eles não existem - daí as várias opiniões de médicos. Vamos por partes.

 
Medidas de protecção solar em bebés
 
O consenso generalizado é que durante os primeiros 6 meses o bebé não deve ser exposto a luz solar directa. Se formos para as recomendações australianas, este número duplica e passa a 12 meses. A isto alia-se uma série de recomendações adicionais de protecção:
  • não sair com o bebé durante as horas de maior calor;
  • proteger sempre o bebé com roupa fresca que cubra a maior área possível de pele;
  • colocar chapéu de abas largas e óculos de sol ao bebé;
  • programar as actividades fora de casa para horas de menor calor;
  • usar sempre coberturas em deslocações no carrinho, mas que não cubra completamente o ovo de forma a não gerar efeito de estufa;
  • evitar áreas com muita reflexão de luz solar (areia, piscina, mar).
 
Ora, isto é tudo muito giro e bonito, mas nem sempre dá para cumprir. Claro que como pais temos de tentar ao máximo evitar a exposição solar e se calhar temos de assumir que no primeiro ano de vida não há férias na praia ou piscina e acabou, mas a vida também acontece das 11h às 16h e por vezes não dá para evitar sair a essas horas com o bebé.
 
Protectores solares em bebés
 
Para quem não sabe, existem protectores solares minerais e orgânicos. Para saberem mais sobre o assunto, PF leiam este post.
 
No geral a recomendação é que antes dos 6 meses não se use protector solar por causa da capacidade de absorção da pele do bebé e que a partir daí e até aos dois anos seja aplicada protecção solar mineral.
 
Corri vários consensos à procura de citações de artigos que suportassem a utilização de um ou outro tipo de protecção, mas não existem. Pelo que consigo perceber, a sugestão de utilização de protecção exclusivamente mineral passa mais por um hábito e conhecimento geral do que propriamente por investigação devidamente feita.
Aquilo que consigo perceber é que as recomendações ainda se prendem muito à questão das alergias a protectores orgânicos, coisa que hoje em dia na Europa já está desactualizada porque a protecção solar avançou muito nas duas últimas décadas. Por outro lado, também não vos consigo garantir a 100% que faz sentido usar um protector que combine ambos porque não encontro estudos nesse sentido. Sei que a La Roche-Posay tem o único protector para bebé que não é exclusivamente mineral do mercado e eles fazem uma campanha gigante a promover os benefícios da protecção combinada (incluindo com vídeos de dermatologistas que recomendam que sejam usados ingredientes minerais e orgânicos). Contudo procurei por estudos com os ingredientes de protecção solar mais comuns e recentes e não encontrei nada relativo a bebés. As únicas diretrizes que encontro vão no sentido de evitar octocrileno, retinyl palmitate e avobenzona, enquanto referem que os ingredientes mais recentes não terão o mesmo problema de absorção que estes ingredientes, mas também não confirmam que poderão ser usados.
 
Quanto às idade em que se começa a usar protector, também sei que há divergências. A verdade é que apesar de não estarem recomendados antes dos seis meses de forma a não irem contra as guidelines, a maioria dos protectores é testada a partir dos 3 meses. Isto significa que em situações especiais e sob orientação do médico, o protector pode ser aplicado antes dos 6 meses. Tanto quanto percebi não existe razão para atrasar o uso da protecção solar até aos 12 meses como sei que alguns médicos aconselham.
 
Recomendação de protectores
 
Basicamente é optar por um que diga que pode ser usado a partir dos 6 meses, que é resistente à água e com SPF50. As sugestões são quase todas minerais, excepto o da LRP.
 
Antes de listar, um aviso: os links para a Care to Beauty não são links de afiliado. Contudo podem usar o código ANA5 para terem 5% de desconto na Care to Beauty se optarem por comprar lá, e esse código é de afiliado.
 

Bioderma Photoderm Mineral SPF50+ [comprar] - aplicação facilitada pelo spray, contudo em bebés que se mexem muito pode dificultar

ISDIN Fusion Fluid Mineral SPF50+ [comprar] - extremamente fluído e fácil de aplicar, mas o preço é um bocado exorbitante

Sesderma Repaskin Pediatrics Mineral Baby SPF50+ [comprar]- o doseador ajuda imenso e é fácil de perceber onde já se colocou produto

Heliocare 360 Pediatrics Mineral SPF50+ [comprar] - compatível com peles atópicas

Uriage Mineral Cream SPF50+ [comprar] - fórmula simples e acessível, a fórmula é a mesma da versão de bebé, mas mais acessível (yay marketing)

La Roche-Posay Anthelios Dermo-Pediatrics Baby Lotion SPF50+ [comprar] - fórmula que mistura protectores orgânicos e minerais

Review: Eucerin UreaRepair 5% Creme de mãos

7466474600_1.jpg

 

Tipo de produto: creme de mãos

Função: hidratar e reparar

Ingredientes principais: 5% ureia, ceramida-3, NMF

Quando usar: quando necessário

Textura: creme

Embalagem: plástico com tampa

Quantidade: 75ml

Preço: 9€

Onde comprar: farmácias, Care to Beauty (não é link de afiliado, contudo podem usar o código de afiliado ANA5 para terem 5% de desconto na Care to Beauty)

 
Se há coisa que continuamente me disseram e eu ignorei foi que uma coisa completamente imprescindível no pós parto era um creme de mãos incrível. Para mim cremes de mãos são maioritariamente uma obrigação exercida apenas em casos drásticos. A questão é que ter um bebé é um desses casos drásticos, mas que neste momento dura continuamente há três meses. Especialmente no nosso caso, que estamos com leite adaptado desde o terceiro dia de vida dela, o nosso dia implica lavar biberões e retinas continuamente, além da habitual louça que tende a ser mais do que o costume porque passo o dia em casa. Isto resultou em mãos completamente secas que estavam à beira de ficar com gretas.
 
Para minha sorte, a Eucerin teve o bom senso de pensar nisto por mim, e ofereceram-me um cabaz quando estava grávida que incluía este creme de mãos. Caso contrário, teria sido obrigada a ir comprar um em SOS no dia em que me apercebi que o meu polegar me doía porque a pele estava tão fragilizada que estava a pouco de gretar. 
 
A parte boa (óptima, maravilhosa) deste creme é que basta uma aplicação diária para a pele recuperar totalmente. A ponto de eu me desleixar, parar de usar e daí a quinze dias notar de novo que a pele está a ficar de novo uma tragédia. Em cerca de dois dias (duas utilizações, portanto) a diferença é completamente notória e o nível de conforto também. Este creme tem uma óptima relação qualidade/preço e é muito fácil de arranjar.
 
A parte má e que eu odeio com uma intensidade drástica é a textura do creme. A primeira vez que o usei fiquei com a sensação de que as minhas mãos pareciam Tupperware engordurados - é uma descrição esquisita, mas juro que é a coisa mais parecida. A única razão pela qual continuei a usar, é mesmo pela eficácia, porque se não tivesse notado resultados logo na manhã seguinte, de certeza que não voltava a usar.
 
Contudo, considerando que basta uma utilização por dia e dada a eficácia deste creme, para mim a solução foi fácil: aplico imediatamente antes de ir dormir e não mexo em nada depois disso. E assim garanto os resultados sem me irritar com a textura do creme.
 
Para mais que precisam mesmo daquele cuidado extra, este é sem dúvida um dos que recomendo sem qualquer hesitação.
 
*produto fornecido pela marca

Review: Kiehl's Hydro-Plumping Re-Texturizing Serum Concentrate

hydro plumping serum kiehls.jpg

 

Tipo de produto: sérum

Função: hidratar, reduzir rugas de desidratação

Ingredientes principais: glicerina

Quando usar: manhã e noite, após a limpeza ou tónico

Textura: aquosa

Embalagem: plástico reciclável com pump

Quantidade: 50ml

Preço: 52€

Onde comprar: lojas ou loja online

 

Sérums hidratantes são aquele produto que praticamente toda a gente deveria usar.desde as peles mais oleosas às mais secas, o normal é que todas as peles tenham falta de água. Daí às rugas, descamação e ausência de conforto, é um saltinho.
 
Quando professei o meu amor por sérums hidratantes muita gente correu a dizer-me que não havia nada como o sérum hidratante da Kiehl's, portanto fiquei muito curiosa com ele.
 
Como a grande maioria dos sérums da Kiehl's, este sérum contém dimeticone, o que confere à pele um toque aveludado e é perfeito para quem quer usar maquilhagem a seguir. A quantidade de silicone não é drástica e não dá efeito de máscara, apenas confere um acabamento mais avekudado. Pessoalmente não sou super fã deste acabamento, mas sei que sou a excepção à regra. A verdade é que dá imenso jeito quando não há tempo para aplicar uma dezena de produtos (já experimentaram ter uma filha de três meses?) e portanto acabo por usá-lo de manhã.
 
A textura é divinal e perfeita mesmo para as peles mais oleosas, porque no momento em que contacta com a pele este sérum transforma-se quase em água e é instantaneamente absorvido. As melhorias na hidratação notam-se quer a curto, quer a longo prazo, o que ajuda a diminuir as rugas por desidratação.
 
Conclusão, subiu para um dos meus sérums hidratantes preferidos, tal como muita gente me tinha garantido que iria acontecer.
 
*produto fornecido pela marca

Suplementos e exposição solar

elsa-olofsson-KWxHmyugJuM-unsplash.jpg

Não é habitual eu falar em suplementos por aqui, mas este tema foi sugerido no Instagram e achei que fazia sentido falar dele agora. Existem vários suplementos no mercado que prometem ajudar a pele a bronzear e a reduzir a sensibilidade à exposição solar, por isso vamos dar uma vista de olhos ao que existe no mercado e aos estudos feitos.

Para começar naquilo que mais interessa, sim, estes suplementos são uma boa ideia. Pessoalmente nunca hei-de compreender a necessidade de ficar o mais moreno possível, mas embora estes suplementos tenham efectivamente a função de ajudar a bronzear, acho mais significativa a outra função - ajudar a reduzir a sensibilidade à exposição solar.
 
Existem vários estudos feitos sobre isto, mas no geral estes suplementos reduzem o eritema solar, o stress oxidativo e a erupção solar polimórfica (alergia ao sol). Portanto para quem habitualmente queima facilmente ou tem reacção exagerada à exposição solar esta é definitivamente uma alternativa viável.
 
A grande maioria dos estudos debruça-se sobre combinações de antioxidantes, nomeadamente vitaminas C e E, licopeno e beta-caroteno. Contudo, há outos ingredientes interessantes como o Polypodium leucotomos usado pela Heliocare que tem vários estudos que comprovam a sua eficácia. Notem que estes suplementos não substituem a protecção solar e devem ser usados como complemento. Idealmente devem ser iniciados 15 dias antes da exposição solar e devem ser mantidos durante o verão. As pessoas que habitualmente sofrem de melasma devem evitar estes suplementos, pois podem agravar a condição. Existe um produto da Esthederm chamado Bronz Impulse que ajuda a fazer este tipo de protecção adicional de forma tópica e assim não agrava as manchas desde que não seja aplicado no rosto.
 
Apenas uma ressalva: convém que não usem estes suplementos caso sejam fumadores que fumam mais de meio maço de tabaco por dia, pois nesta situação específica os antioxidantes deixam de ser eficazes e podem mesmo tornar-se pró-oxidantes.
 
Antes de listar, um aviso: os links para a Care to Beauty não são links de afiliado. Contudo podem usar o código ANA5 para terem 5% de desconto na Care to Beauty se optarem por comprar lá, e esse código é de afiliado.
 
Caso estejam à procura de suplementos que ajudem a bronzear, no geral o suplemento que mais recomendo é o da Heliocare da linha clássica. Contudo, tenho também óptimo feedback do da Lierac. Caso estejam à procura de protecção porque tendem a fazer "alergia ao sol" (erupção polimórfa à luz solar), para mim não há melhor do que o Heliocare Ultra D.