Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Skin Game

Blogue português escrito por uma profissional de farmácia e dedicado à dermocosmética.

Notas soltas - julho 2017

Aparentemente a última vez que escrevi um Notas Soltas foi em Março e foi exclusivamente sobre comida. E então o que é que tenho andado a fazer nestes meses? Aparentemente pouca coisa (e muita ao mesmo tempo)

 

Jogos

jogos.PNG

Para quem me anda sempre a pedir que fale de jogos... Terminei o Life is Strange lá para Maio e desde então estou muito histérica com ele - e tenho aproveitado para andar a tentar obrigar toda a gente que conheço a jogá-lo, porque este é um daqueles jogos que metade da piada é jogá-lo, a outra metade é falar sobre ele. Felizmente já tinha pelo menos 3 amigas que já o tinham jogado e assim que acabei pude ir logo a correr para o whatsapp. Mais histérica fiquei quando soube pouco tempo depois que vão oficialmente fazer uma sequela e uma prequela.

Os jogos do costume (World of Warcraft, Overwatch e Pokémon Go) cá andam e recomendam-se. No WoW andamos entretidos a fazer o loremaster com a progressão bloqueada, portanto é coisa para demorar muitooooo tempo. No Overwatch tenho andado como de costume a jogar com a Mercy, Reinhardt, Bastion e D.Va, mas entretanto descobri que até me safo como Genji (embora geralmente tenha pânico de o utilizar). Pokémon Go tem sido giro desde que começaram as raids porque tenho no trabalho mais 3 colegas que também jogam e temos um ginásio a 50m do trabalho. 

Entretanto ofereceram-me o jogo de Game of Thrones da Telltale no meu aniversário e agora aproveitei os saldos do Steam para comprar o Firewatch, portanto tenho muita coisa para jogar.

 

Livros

Mistborn. Mistborn. Mistborn. (hey, os livros são calhamaços) Há muito tempo que não me sabia tão bem ler uma saga de Fantástico e há muito que não adorava um livro logo a partir das primeiras páginas. Tenho estado muito histérica com isto e está sem dúvida a tornar-se numa das minhas preferidas.

A Chimamanda também lançou um novo livro que por enquanto só está disponível em inglês, Dear Ijeawele, com os conselhos dela sobre como educar uma criança para ser feminista. Baseou-se na resposta que deu a uma carta de uma amiga que lhe pediu esses conselhos, portanto está obviamente adaptado à sociedade nigeriana, mas há muita coisa que é completamente paralela à nossa sociedade.

 

Casamento

Com o mês de Setembro a aproximar-se, neste momento estou mais entusiasmada com o casamento da minha amiga do que com o meu (fomos pedidas em casamento no mesmo dia, mas o dela é já este ano). De qualquer forma, o mês de Setembro também é o mês em que vou em busca do meu vestido, portanto todos os olhos estão voltados para lá - e para sites de marcas de vestidos.

Acho que não cheguei a escrever sobre a única coisa com que fiquei triste neste processo todo, que é o facto de não nos irmos casar na igreja em que tínhamos planeado - de alguma forma conseguimos acertar num de dois domingos no ano todo em que não celebram casamentos nessa igreja. E tivemos um dia de algum pânico ("algum", diz ela) quando percebemos que havia mais igrejas que não celebravam casamentos nesse dia ou que exigiam que as leituras do casamento fossem as leituras relacionadas com o dia de Pentecostes. (gente, eu fiz a catequese toda até ao Crisma e nunca na minha vida o Pentecostes foi uma coisa gigantesca, o que é que vos deu para me lixarem os planos do casamento?) Bem, já arranjámos uma igreja que felizmente não está carregada de talha dourada, onde o padre me perguntou se estava a brincar quando expliquei que havia quem não celebrasse casamentos no Pentecostes, já marcámos o dia e por isso está tudo a andar outra vez. Conselho para quem ainda não agendou data e pretende fazer casamento católico: verifiquem o calendário católico primeiro. Tanto quanto percebi, a quaresma é uma altura terrível para uma pessoa se casar e há dias específicos dentro de cada paróquia em que simplesmente não há abertura.

Agora que estamos mais virados para pequenos pormenores, já que as coisas grandes estão todas encaminhadas, tenho andado muito na Etsy. Tem sido o sítio onde tenho encontrado itens perfeitos para aquilo que andava a procurar e ainda consigo suportar artistas independentes. Por sorte, tenho encontrado tudo o que preciso em fornecedores dentro da Europa, portanto anula-se a questão das taxas de importação e tempos de espera na alfândega.

Uma coisa de que me tenho apercebido: há agregadores de fornecedores que só permitem aos fornecedores responder a um número limitado de pedidos sem pagar valores acrescidos. Portanto, se também andarem à procura de fornecedores para casamento, contactem-nos directamente em vez de usarem as plataformas. Pode ser a diferença entre aquele fornecedor que seria perfeito para vocês vos responder ou ficarem "pendurados".

Notas soltas - Os melhores sítios no Porto para comer

Estava aqui entretida a fazer uma lista dos meus sítios preferidos para comer no Porto e ocorreu-me que seria giro fazer disso um post. Parece que vocês concordaram no Facebook, por isso aqui vai! Separei por três categorias e os pratos possivelmente são muito específicos, mas são aquelas coisas que gosto de comer. Já sabem, a caixa de comentários é vossa e sugestões aceitam-se!

 

IMG_20160619_174008.jpg

 

Pequeno-almoço e lanche

 

- Torrada: Amarelo Torrada (Porto)

- Scones: The Bird (Porto - Foz)

- Pão: Broas e Broinhas (Gaia - Canidelo)

- Brunch: A Loja dos Pastéis de Chaves (Porto - Baixa)

IMG_20160409_124323.jpg

 

Almoço e jantar

 

- Hamburguer: Real Hamburgueria (Porto - Cedofeita) ou DeGema (Porto - Baixa)

- Francesinha: Brasão (Porto - Baixa)

- Arroz de pato: PortoBeer (Porto - Boavista)

- Ramen: RO (Porto - Baixa)

IMG_20170208_210322.jpg

- Sandes: A Sandeira (Porto - Baixa)

- Focaccia: Reitoria (Porto - Baixa)

- Carne grelhada: Belos Aires (Porto - Miragaia)

- Cachorros: Gazela (Porto - Batalha)

IMG_20160609_191246.jpg

- Peixe grelhado: Casa do Pescador (Gaia - Afurada)

- Pizza: Pulcinela (Matosinhos Sul) ou Forneria de S. Pedro (Gaia - Afurada)

- Italiano: Pulcini (Leça da Palmeira)

- Sushi: Sushiaria (Leça da Palmeira) ou Domo (Porto - Baixa)IMG_20160305_220905.jpg

- Indiano: Mendi (Porto - Boavista) ou Indi Go para fast food (ArrabidaShopping ou ViaCatarina)

- Frango assado: Icarai (Porto - Baixa)

- Bife de atum: Champanheria da Baixa (Porto - Baixa)

- Ceviche: Ceviche & Poké Bowls (Mercado Bom Sucesso)

IMG_20161020_195335.jpg

 

Doces

- Tarte: tarte de limão no Torreão (Porto - Virtudes), tarte de amêndoa na Padaria Ribeiro (Porto - Baixa)

- Bolo de chocolate: Jivara da Algo by Colonial (Porto - Mercado Bom Sucesso)

- Croissant: Boémia Caffé (Porto - Boavista)

- Brigadeiros: Bella Brigaderia (Leça da Palmeira)

IMG_20161029_171154.jpg

- Gelado: Santini (Porto - Baixa)

- Pavlova: Miss Pavlova (Porto - Baixa)

- Waffles: Waffle Spot (MarShopping)

IMG_20160419_211048.jpg

 

 

Notas soltas - Fevereiro 2017 parte 2

Na onda de "coisas que ando a ver/ler/ouvir" nos últimos tempos (e que eu sei que já houve muita gente a pedir-me para fazer com mais frequência, deixo-vos os filmes, séries e livros que me têm ocupado o tempo recentemente.

 

filmes.PNG

Temos andado a correr para o cinema (na semana passada fomos 3 vezes) para tentarmos ver os filmes mais falados do momento. Ao contrário do que tenho visto por aí, eu adorei de paixão o La La Land - não explico porquê porque teria de entrar em spoilers e não faço disso. O Moonlight é incrível e o Lego Batman também (já sentia falta de me rir com gosto durante um filme inteiro). Lion, Hidden Figures e 20th Century Women são bons, mas não me convenceram por aí além. Ainda vamos tentar ver o Fences e o Trainspotting 2 num futuro próximo, vamos lá ver se conseguimos.

 

series.PNG

Decidimos apostar no Netflix em conjunto com o meu sogro e desde então que tenho visto séries umas atrás das outras.

Comecei por ver o que me faltava de Downton Abbey e de Call the Midwife, que tinha deixado de ver porque passei praticamente a ver apenas séries que conseguia gravar na box. A questão é que é tão fácil agora levar o iPad para a cozinha e ver séries enquanto estou a cozinhar, que tenho visto umas atrás das outras. Algures pelo meio destas duas séries vi The Crown, que adorei, e comecei a ver Outlander mas parei porque o namorado decidiu que queria ver comigo. Estou agora a ver Reign, mas começo a ficar farta de ver adolescentes histéricas e de não ver nada da Escócia, por isso é provável que abandone no fim da primeira temporada. Sim, eu papo séries históricas como se não houvesse amanhã, é a vida.

No que diz respeito à série mais espectacular dos últimos tempos, o prémio vai para This is Us. A sério, aquilo é incrível. Os diálogos, a caracterização das personagens, a história... preparem-se é para agarrar nos lenços, que até agora acho que só houve um episódio em que não chorei (e não é um chorozinho bonito de uma única lágrima a cair no calor do momento, estamos a falar de soluçar com vontade e ficar toda ranhosa).

Eu sei, eu sei que estavam à espera que a série que eu disse que era a coisa mais espectacular de sempre fosse Westworld. E é, a série é incrível, mas existe todo um problema com o facto de eu ficar seriamente afectada por pessoas notoriamente más que me levou a ter muito pouca vontade de passar do segundo episódio - nem sei como sou Ravenclaw, eu nasci para ser Hufflepuff. Felizmente passei e terminámos a primeira temporada cheios de vontade de ver muito mais.

Para quem não sabe, eu adoro cozinhar, por isso o Masterchef é paragem obrigatória cá em casa e descobri o Chef's Table por indicação de um amigo nosso. Claro que o primeiro episódio é dedicado a um chef de Modena e agora só quero ir a uma fábrica de parmesão... Estão a ver a maneira como as pessoas correm para a mesa do marisco nos casamentos? Eu faço isso com a dos queijos.

 

livros.PNG

Por fim, os livros. Acho que já tinha mencionado algures por aqui que, por muito que adore ler, não o consigo fazer em transportes públicos porque enjoo - o que é uma carga de trabalhos considerando que agora passo mais de 1h por dia neles. Portanto o que tenho feito é recorrer a audiolivros. Os últimos foram Still Alice (adorei e recomendo muito, mas leiam-no numa fase em que não andem mais em baixo, porque senão isto vai arrastar-vos) e o The Hundred-Foot Journey (óptimo filme, livro completamente horroroso que devia ter abandonado nos primeiros capítulos e foi uma pura perda de tempo). Ontem comecei a ouvir o Hobbit e estou apaixonada pela narração do Rob Inglis.

Em termos de livros físicos, tenho lido BD, nomeadamente Descender (eu sei que estão fartos de me ouvir dizer isto, mas a saga é mesmo, mesmo boa), Lazarus (recomendado para compensar a ausência de Descender) e World of Wakanda, um spinoff do Black Panther. Tudo ótpimo, tudo imensamente recomendado. Também recomendaria Iron Man, mas já acabou e ainda não li os novos, por isso não sei se tem sido alguma coisa de jeito ou não. 

 

E é isto, minha gente. Aceitam-se recomendações de audiolivros e séries no Netflix!

Notas soltas - Janeiro 2017

Ainda estou viva. Bom Natal, Feliz Ano Novo e tudo e tudo. Era suposto eu ter vindo cá mais cedo, há pelo menos um mês, mas a vida parece que não deixa. Não sei para onde foi o mês de Dezembro porque perdi-me no meio de tanta coisa que tive de fazer e tanto sítio onde tive de estar. Digam-me pf que também não sabem para onde foi o vosso mês de Dezembro, não me quero sentir desacompanhada.

 

Bem, actualizações relevantes: já há algum tempo que andava a pensar nisto e parece-me que vou ter de avançar com mini reviews de produtos. Eu tenho TANTA coisa para vos mostrar e não consigo dedicar o tempo necessário a uma review completa. A questão é se faço na mesma um post por cada mini review ou se as agrupo (2-3 de cada vez, não mais). Digam-me de vossa justiça, agrupo-os ou faço na mesma um post por cada mas em versão curta? Sinto que não vos estou a mostrar tanta coisa gira que tem aparecido por cá e ao mesmo tempo não consigo sentar o rabo na cadeira e perder meia hora a escrever só sobre um produto porque sento-me à frente do PC e começo a pensar "escolho qual? Mas aquele outro também é tão fixe. Mas não tenho tempo para tudo. Não tenho tempo para nada. AAAHHHH" e saio da frente do PC sem escrever nada. Já para não falar em fotos. Não vamos falar de fotos senão deprimo.

 

Então Ana, e por que raio estás com tão pouco tempo livre? Bem, para começar tenho um trabalho novo desde o início de Dezembro que me obriga a deslocações de 40 minutos para cada lado. A parte extremamente positiva disto é que desde Dezembro já terminei 3 audiolivros e já estou a ouvir o 4º. An Astronaut's Guide to Life on Earth, How I Killed Pluto and Why it Had it Coming, The Princess Diarist e agora Born a Crime (que eu sei que há por aí malta que gosta de saber o que leio - ou ouço - e recomendo-os todos com muita vontade). Já vos estou a ouvir a perguntar "ai mas por que raio mudaste de trabalho se tinhas o trabalho perfeito?" - a sério, recebi mesmo muitos e-mails de colegas a perguntarem-me como tinha conseguido o trabalho na empresa anterior, porque era exactamente aquilo que queriam fazer. Bem, porque descobri um trabalho melhor, porque me apresentaram uma boa proposta e porque tenho 28 anos e se há altura para andar a procurar coisas novas é agora e não daqui a 20 anos.

 

A outra questão é que parece que toda a gente quer marcar coisas desde dezembro. Não me estou a queixar, estou só a rezingar um bocadinho, porque é bom ter pessoas que querem estar connosco. Mas entre família de ambos, amigos, compras de Natal, Natal, Comic Con e Ano Novo, o tempo foi todo preenchido por coisas fora de casa ou dentro dela juntamente com mais 10 pessoas. E não, o casamento não é minimamente culpado, acho que a primeira coisa que vamos fazer desde Outubro é ir à Exponoivos este fim de semana (vantagens de marcar com tanto tempo de antecedência). Aliás, a única razão pela qual estou a escrever este post agora é porque estou a ignorar o caos absoluto que está esta casa, a ignorar a pilha de louça suja e porque não fui ao ginásio por não ter tido tempo de fazer a depilação (TMI, desculpem, mas é este o estado em que as coisas estão).

 

Portanto, resumindo (e se chegaram até aqui, gosto muito de vocês): digam-me de vossa justiça quanto às reviews, porque tenho mesmo muita coisa gira para vos mostrar. E vou tentar organizar isto melhor assim que parar de entrar em pânico por não conseguir escrever reviews. Ah, e a minha mãe ofereceu-nos uma Bimby, isso deve ajudar a poupar algum tempo (ainda estamos na fase em que a Bimby diz que o próximo passo demora 12 minutos e nós ficamos a contemplar aquilo deslumbrados em vez de aproveitar o tempo para fazer outras coisas).