Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Skin Game

Blogue português escrito por uma profissional de farmácia e dedicado à dermocosmética.

Glossário de ingredientes usados na dermocosmética

 

Eventualmente hei-de explorar com mais afinco cada um destes ingredientes ao longo de posts futuros. Contudo, e como sou uma pessoa que gosta de se referir a princípios activos ao longo dos posts, mas ao mesmo tempo sei que vocês não têm obrigação de saber do que raio estou eu a falar, decidi fazer aqui um mini glossário de ingredientes mais comummente falados por aqui, de modo a que possam ter sempre este post como referência caso tenham dúvidas sobre eles. É possível que este glossário vá crescendo à medida que me vá apercebendo de alguma falha ou omissão, por isso fiquem atentos e guardem-nos aí pelos favoritos para poderem consultar sempre que acharem necessário.

 

Se quiserem pesquisar por algum termo mais específico nesta lista, podem sempre utilizar a função de pesquisa do vosso navegador. Geralmente acede-se a ela com a combinação de teclas Ctrl + L (se estiver em português) ou Ctrl + F (se estiver em inglês). Depois disso abre-se uma caixinha de pesquisa de palavras na qual podem escrever o termo que querem pesquisar. Exemplos de termos de pesquisa: acne, hiperpigmentação, desidratada, seca, oleosa, fotoenvelhecimento, seborreica, sensível, idade.

 

Ácido ascórbico (Vitamina C) – tem propriedades antioxidantes, de clareamento da pele, de regulação da biossíntese de colagénio e fotopprotectoras, contudo tem pouca estabilidade nas formulações cosméticas, devendo obtar-se por fórmulas estabilizadas como ascorbil fosfato de magnésio. Tem efeito sinérgico com o tocoferol, devendo ser usados em combinação para melhores efeitos. Melhora a protecção contra UVB quando usada em cnjugação com um protector solar anti-UVB. É geralmente usado na prevenção do fotoenvelhecimento e na prevenção do aparecimento de manchas na pele.

 

Ácico azelaico - agente despigmentante (inibidor indirecto da tirosinase) e antibacteriano (utilizado na acne). É particularmente eficaz nas manchas pós-acneicas e funciona bem em peles de fotótipos altos, mas pouco eficaz em hiperpigmentação relacionada com a idade e em sardas. Serve como tratamento e prevenção da acne bacteriana.

 

Ácido cítrico – ver alfa-hidroxiácidos

 

Ácido ferúlico – antioxidante botânico, protege a pele contra a vermelhidão provocada pelos raios UVB quando usado em combinação com um protector solar anti-UVB. Aumenta a estabilidade das fórmulas com Vit C e E. Tem um bom poder de penetração. É usado habitualmente na prevenção do fotoenvelhecimento.

 

Ácido glicólico – ver alfa-hidroxiácidos

 

Ácido hialurónico – componente que ocorre na derme e que controla características bioquímicas e físicas das células epidérmicas e regula a actividade da pele a nível de conteúdo de água, elasticidade e na distribuição de nutrientes. Consegue reter até 10x o seu peso em água e é utilizado na dermocosmética como agente hidratante. O seu efeito dura de 24 a 48h, pelo que é mais eficaz com aplicação diária. O ácido hialurónico pode ser dividido em ácido hialurónico de baixo peso molecular (com maior poder de penetrabilidade, uma vez que são moléculas de menos dimensões) e ácido hialurónico de alto peso molecular (menor poder de penetrabilidade, mas aumenta o conforto na pele desidratada). O ideal é optar por uma fórmula que contenha ambos, mas deve-se procurar sempre por produtos que contenham ácido hialurónico de baixo peso molecular.

 

Ácido kójico – agente despigmentante que actua através de um mecanismo antioxidante, sendo um inibidor da tirosinase. Tem eficácia equiparável à hidroquinona nas hiperpigmentação relacionada com a idade.

 

Ácido láctico – ver alfa-hidroxiácidos

 

Ácido mandélico – ver alfa-hidroxiácidos

 

Ácido salicílico – ver beta-hidroxiácidos

 

Água de rosas – adstringente e calmante

 

Alantoína – extracto botânico com propriedades cicatrizantes, calmantes e protectoras contra agentes externos como o vento frio. Pensa-se que contribui para a estimulação de de novo tecido e que ajuda a cicatrizar pele danificada. É comummente usada em preparações para pele sensível e acneica, sendo que alguns derivados têm propriedades anti-seborreicas.

 

Álcoois – existem vários tipos de álcoois na dermocosmética. O álcool desnaturado/etanol/álcool SD e o álcool isopropílico estão entre os que devem ser evitados, uma vez que levam à secura da pele em grandes concentrações (são habitualmente encontrados nalguns tónicos destinados à pele oleosa). Por esta razão, são habitualmente evitados por quem tem pele sensível, embora não hajam estudos que verificam que têm propriedades sensibilizantes. Álcoois como o cetílico ou o estearílico não costumam provocar este tipo de resposta, pelo que são considerados mais seguros, servindo mesmo como emolientes.

 

Alfa-hidroxiácidos (AHA)– inclui ácido glicólico, ácido mandélico, ácido láctico, ácido cítrico, ácido málico, ácido pirúvico e ácido tartárico. São também chamados de ácidos de frutos, uma vez que têm proveniência em extractos botânicos. As suas principais funções são como hidratantes, esfoliantes químicos e emolientes, sendo também usados em casos de hiperpigmentação e fotoenvelhecimento. Uma vez que aumentam o turnover celular, têm sido utilizados em tratamentos anti-idade. Podem também ser usados no tratamento de patologias como a hiperqueratose folicular, dermatite seborreica, dermatite atópica e ictiose. São geralmente indicados para casos de pele acneica, hiperqueratósica e para quem quer prevenir o envelhecimento. Uma vez que removem as camadas superficiais do extracto córneo da epiderme, são fotossensibilizantes, pelo que se deve sempre utilizar protector solar aquando do tratamento. Os mais usados são o ácido glicólico e o ácido láctico, sendo que o ácido cítrico é habitualmente utilizado como corrector de pH em fórmulas e o ácido mandélico é habitualmente direccionado para o tratamento de peles acneicas. A legislação limita a utilização destes ácidos até 15% em produtos sem prescrição, podendo ser utilizadas concentrações superiores por dermatologistas.

 

Aloé vera – tem propriedades calmante, anti-inflamatórias e emolientes, sendo habitualmente utilizado em formulações para peles hiperreactivas ou expostas à radiação UV em excesso.

 

Arbutina –despigmentante inibidor da tirosinase derivado da hidroquinona, consegue prevenir a formação de melanina. Tem menos efeitos secundários do que a hidroquinona, embora a eficácia comparativa não esteja claramente determinadaa. É particularmente usado em prevenção de pigmentação associada à idade.

 

Argila – inclui a bentonite e o caulino, entre outros. São principalmente utilizadas pelas suas propriedades adsorventes de água e óleo, podendo ser misturadas com alguns ingredientes por forma a providenciar máscaras para todos os tipos de pele, incluindo pele seca (argila amarela) e pele sensível (argila rosa).

 

Bentonite – ver argila

 

Beta-hidroxiácidos (BHA) – o principal beta-hidroxiácido é o ácido salicílico. É principalmente usado como esfoliante químico e é particularmente utilizado no tratamento da pele acneica, uma vez que também possui propriedades anti-inflamatórias e baixa o pH da pele, evitando o desenvolvimento microbiano. No tratamento anti-idade parece melhorar o aspecto das rugas e rídulas.

 

Biotina (Vitamina B7/vitamina H) – composto anti-seborreico, mas a sua utilização a nível tópico é questionável. Geralmente utilizado em produtos para pele oleosa.

 

Bisabolol – composto extraído da camomila, com propriedades calmantes e anti-inflamatórias, muito utilizado em tratamentos para pele sensível ou hipereactiva.

 

Bromeleína – derivada do ananás, é utilizada como esfoliante enzimático, adequada para peles sensíveis ou hiperreactivas.

 

Cafeína – tem propriedades drenantes, sendo utilizada em tratamentos anti-celulíticos e em cremes para a zona ocular com efeito descongestionante (anti-papos).

 

Caulino – ver argila

 

Cera de abelha – agente emoliente que serve também como espessante de fórmula. É comum aparecer em produtos para pele seca ou muito seca.

 

Ceramidas – família de lípidos  que actuam na camada superficial da pele, formando uma barreira protectora contra a perda transepidermal de água. São muito utilizadas como reparadoras cutâneas no caso de pele seca e ajudam a manter a hidratação nas peles desidratadas. São também recomendadas para pele sensível ou hiperreactiva como no caso da rosácea.

 

Coenzima Q10 (ubiquinona) – antioxidante com grande potência utilizado em tratamentos preventivos anti-idade.

 

Colagénio – agente hidratante e protector da perda transepidermal de água, eficaz mesmo nas peles sensíveis. É dos ingredientes mais usados nos produtos para pele desidratada.

 

Dióxido de titânio – protector solar físico com actividade anti-UVA e anti-UVB. Pode ser usado em diversos tamanhos, incluindo nanopartículas. É também frequentemente utilizado como corante branco em produtos dermocosméticos, pelo que a sua presença na lista de ingredientes não significa automaticamente que tenham protecção solar.

 

Esqualano / esqualeno – excelentes hidratantes e lubrificantes, compatíveis com os lípidos presentes na pele. Muito utilizados em formulações para pele seca e muito seca.

 

Flavonóides – antioxidantes de origem botânica, incluem a hesperidina, quercetina, rutina, proantocianidinas e catequina.

 

Glicerina –humectante, capacidade de absorver e reter água, sendo por isso extensamente utilizado em fórmulas para pele desidratada. É um bom hidratante, facilita as reacções enzimáticas na pele e promove a descamação da camada corneocitária da epiderme. Em grandes concentrações pode ser comedogénica.

 

Gluconolactona – antioxidante e anti-acneico, ajudando também na hidratação da pele.. Particularmente indicado para prevenção de fotoenvelhecimento, produtos antiacneicos e hidratantes.

 

Hamamélis – extracto botânico habitualmente utilizado na pele com excesso de exposição solar, e como anti irritante e calmante. Contudo, pessoas com rosácea devem evitar este ingrediente uma vez que pode despoletar crises. Aparente ter acção antioxidante e potenciar a protecção anti UVA e anti-UVB quando utilizada em conjugação com protectores solares.

 

Hidroquinona – despigmentanto inibidor da tirosinase, é considerado o standard de ouro nos tratamentos despigmentantes, embora os seus efeitos sejam principalmente de prevenção. Contudo, é um potencial carcinogénio e pode provocar despigmentação total de certas zonas da pele. Foi banido em certos países, mas continua a ser utilizado por prescrição médica noutors.

 

Lanolina – ingrediente de origem animal, é um emoliente bastante eficaz e com pouca incidência de reacções alérgicas. É utilizada em fórmulas comohidratante e emulsificante e usado na forma pura como protecção e agente de regeneração na zona do mamilo em lactantes, uma vez que não necessita de ser removido antes da amamentação.

 

Manteiga de karité – emoliente eficaz em peles secas ou muito secas. É potencialmente comedogénico, pelo que deve ser evitado em peles com tendência acneica.

 

Mel – hidratante e calmante, particularmente usado em fórmulas para pele seca a muito seca. São-lhe atribuídas propriedades antibacterianas. Pode provocar reacção alérgica em pessoas alérgicas a pólens.

 

Niacinamida / Niacina – formas da Vitamina B3 usadas em cosmética, que auxiliam na pele seca e desidratada, principalmente por reduzirem a descamação e restaurarem a elasticidade.

 

Octocrileno – protector solar químico com protecção anti-UVB, com propriedades de resistência à água e boa fotoestabilidade. Pode provocar reacção alérgica em pessoas com historial de fotoalergia.

 

Óleo de amêndoas doces – emoliente, aumenta a elasticidade da pele.

 

Óleo de argão – emoliente e humectante. Possui na sua constituição tocoferol, ácidos gordos essenciais, ácido fenólico e carotenos, exibindo propriedades antioxidantes.

 

Óleo de melaleuca – óleo bactericida e fungicida, adequado a peles oleosas e com tendência acneica.

 

Óleo de rosa mosqueta – óleo regenerador, cicatrizante e emoliente, ajuda também no controlo da produção de sebo. É uma fonte natural de ácidos gordos essenciais e ácido retinóico, podendo ser usado no tratamento anti-idade.

 

Óleo mineral – ver parafina

 

Óxido de zinco – protector solar mineral com protecção anti-UVA e anti-UVB, com efeito sinérgico quando combinado com protectores solares orgânicos. Quando usado em grandes concentrações é também adstringente, antisséptico e anti-bacteriano, sendo muito comum em pastas para a muda da fralda.

 

Pantenol (pró-Vitamina B5) – aumenta a penetração de outros compostos e estimula a proliferação celular e reparação dos tecidos. Pela sua capacidade humectante, é muito usado em preparações para pele desidratada. Tem também actividade na pele demasiado exposta à radiação UV e actua como calmante e anti-inflamatório.

 

Papaína – enzima extraída da papaia, frequantemente utilizada como esfoliante enzimático. Adequado a peles sensíveis.

 

Parabenos – conservantes de excelência, bacteriostáticos e fungistáticos. Podem causar reacção alérgica a uma pequena percentagem da população. Apesar de um estudo ter descoberto parabenos em carcinomas da mama, nenhum dos estudos seguintes conseguiu determinar actividade carcinogénia nestes produtos, pelo que são considerados perfeitamente seguros (apesar de ser comum o mito urbano de que não devem constar de produtos dermocosméticos, que não tem qualquer base científica).

 

Parafina (óleo mineral) – emoliente eficaz, de baixo custo. Ao contrário daquilo que geralmente se pensa, a parafina é um ingrediente seguro, que não bloqueia os poros. Contudo, existem alternativas melhores, embora mais caras, pelo que a sua substituição é geralmente recomendada (em particular pela sua origem ser o petróleo, um recurso finito). É eficaz em pele seca ou muito seca.

 

Péptidos – polímeros de cadeia curta de aminoácidos. Geralmente são moléculas de dimensões que não permitem a sua pentração na pele, pelo que o seu uso nos tratamentos anti-idade ainda é discutível, uma vez que não foram estabelecidos os mecanismos de acção e eficácia. Nas fórmulas encontram-se sempre com a palavra "peptide". Pensa-se que os péptidos de cobre possam ter acção antioxidante, embora nunca tenham sido comparados com antioxidantes conhecidos como a Vitamina C ou E. Regra geral, a única actividade comprovada dos péptidos é a de hidratação da pele.

 

Polifenóis – antioxidantes de origem botânica, com funções no reforço do colagénio e elastina enquanto previnem a degradação dos tecidos. Incluem as epigalhocatequinas, epicatequinas e o resveratrol. São habitualmente usados nos tratamentos anti-idade, acne, rosácea, hiperpigmentação e pele de grão irregular.

 

Resorcinol – antisséptico e calmante, é habitualmente usado em preparações para pele acneica uma vez que também ajuda a fazer uma esfoliação química. Pode ser irritante, pelo que deve ser evitado na pele sensível.

 

Resveratrol – antioxidante polifenólico proveniente da uva, com efeito protector sobre a glutationa e actividade anti-inflamatória. É habitualmente usado nos tratamentos anti-idade como prevenção do aparecimento de rugas e rídulas.

 

Retinóis – O retinol é o principal composto, sendo usado para tratar condições associadas ao envelhecimento como o aparecimento de rugas ou rídulas, sendo um dos poucos ingredientes com eficácia comprovada. É também utilizado no tratamento da acne, rosácea e queratose actínica. Quando comparado com o ácido retinóico, é menos sensibilizante e tem melhor penetração. Contudo, a aplicação de retinol deve ser feita com cuidado, introduzindo lentamente este composto nos cuidados diários e aumentando a sua frequência à medida que a pele tolera. A tretinoína ou ácido retinóico é um derivado da Vit A, habitualmente utilizado em tretamentos na acne. Apesar da sua eficácia, está associado a um número alargado de efeitos secundários como secura da pele, hiperssensibilidade, irritação, fotossensibilização, vermelhidão e descamação. Quando se utilizam estes tratamentos, deve-se alterar o regime de cuidados de rosto. O retinaldeído é um retinóide suave ao qual se atribui o aumento da espessura da pele sem produção de eritema. O retinil palmitato é um agente hidratante que se converte na pele em ácido retinóico, aumentando a espessura epidérmica, e aumentando a elasticidade da pele sem apresentar os efeitos adversos do ácido retinóico. É habitualmente associado a ácido glicólico por forma a aumentar a sua penetração e é eficaz na redução do número de rugas e rídulas, bem como da sua profundidade.

 

Silicones (mais comum - dimeticone) – usados para preenchimento de espaços na pele para sensação de pele mais regular, bem como para servir de base a maquilhagem. Ajuda a prevenir a perda transepidermal de água, sendo usado em produtos para peles desidratadas ou secas.

 

Surfactantes (agentes tensioactivos) – produtos capazes de formar micelas. São capazes de eliminar a gordura, sendo frequentemente utilizados em agentes de limpeza. O laurilsulfato de sódio (SLS) tem tendência a causar irritação na pele, devendo ser evitado.

 

Tocoferol – antioxidante potente, com efeito sinérgico com o ácido ascórbico (vit C)

 

Tretinoína – ver retinóis

 

Ubiquinona – ver coenzima Q10

 

Ureia – agente queratoplástico em baixas concentrações (emoliente) e queratolítico em altas concentrações (esfoliante químico). É geralmente utilizado em baixas concentrações para tratar a pele seca e em altas concentrações para hiperqueratose folicular, psoríase, pele muito seca na zona dos pés ou mãos ou calosidades.

 

Vitamina A - ver retinóis 

 

Vitamina C – ver ácido ascórbico

 

Vitamina E – ver tocoferol

 

Zinco – oligoelemento particularmente útil no tratamento de pele com tendência acneica ou com dermatite seborreica, uma vez que impede a proliferação bacteriana e fúngica e controla a produção de sebo. Promove a síntese de colagénio na derme e a queratinização do extracto córneo.

 

Fontes:

http://www.paulaschoice.com/cosmetic-ingredient-dictionary/

Milady Skin Care and Cosmetic Ingredients Dictionary