Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

The Skin Game

Blogue português escrito por uma profissional de farmácia e dedicado à dermocosmética.

Notas soltas - questionário da Vanity Fair

Andava há algum tempo para escrever algo sobre mim e não sabia bem o quê. Faz-me alguma confusão passar apenas informação factual para o lado de quem lê o blogue, porque quem me conhece sabe que estou em longe de ser um robô debitador de factos e opiniões sobre dermocosmética. Aliás, facto engraçado: dificilmente ver-me-ão a publicar algo relacionado com dermocosmética no meu perfil pessoal de Facebook - mais facilmente partilho uma piada de Harry Potter ou um post feminista do que algo sobre Dermocosmética. Bem, avancemos... a Caroline Hirons publicou uma foto de uma entrevista-questionário da Vanity Fair à Shonda Rhymes e eu achei piada às perguntas. Chamam-lhe o questionário de Proust, embora seja só levemente inspirado nele, e como nunca serei entrevistada pela Vanity Fair, aqui ficam as respostas a algumas das perguntas (podem encontrar a lista completa de perguntas aqui).

Qual é o teu conceito de felicidade plena?

Sentir que não precisaria de acrescentar nada à vida para estar feliz.

Qual é o teu maior medo?

Perder aqueles de quem gosto (caramba, isto começa logo a ser depressivo)

Qual é a tua característica que mais detestas?

Cair facilmente na negatividade.

Qual é a característica que mais detestas nos outros?

A prepotência de achar que se não concordam com algo na vida dos outros, têm direito a alterá-la e têm poder sobre ela.

Quem é a pessoa viva que mais admiras?

Chimamanda Ngozi Adichie.

Qual é a tua maior extravagância?

Ter uma colecção de artigos de dermocosmética que nunca mais acaba e ainda assim achar que é boa ideia comprar mais.

Qual consideras ser a virtude mais sobrevalorizada?

A capacidade de dar a outra face.

Em que ocasiões mentes?

Quando acho que dizer a verdade só traz mágoa.

Que frases ou expressões usas em demasia?

Podia dizer, mas como a coisa que mais digo e não devia é uma asneira, é melhor não escrever.

O que ou quem é o maior amor da tua vida?

Eu própria, e por muito egocêntrico que isso possa parecer, é uma coisa que me demorou muitos anos a atingir e tenho orgulho nisso.

Quando e onde foste mais feliz?

Agora.

Que talento gostarias de ter?

Cantar decentemente, de forma a poder usar a lista interminável de letras de música que tenho na cabeça de forma mais agradável.

Se pudesses mudar uma coisa em ti, o que seria?

A capacidade interminável do meu corpo arranjar doenças novas desde que me lembro de ser gente.

Qual consideras ser a tua maior conquista?

Ter-me sobrevivido às fases mais difíceis da minha vida.

Onde gostavas de viver?

No Porto com mais três zeros à direita no saldo da minha conta do banco.

Qual é o teu bem mais precioso?

Com esta pergunta concluo que, apesar de ser muito dada a comprar e ter coisas, não há nada em particular a que seja muito apegada.

Qual é a tua ocupação preferida?

Sou uma pessoa chata e previsível, portanto adoro coisas chatas e previsíveis como ler, ver séries, jantar com amigos e outras que tais de que toda a gente gosta.

Qual é a tua característica mais marcante?

Costumam dizer que é ser uma bolha de energia.

O que valorizas mais nos amigos?

Respeitarem-te por aquilo que és e não exigirem que sejas outra pessoa.

Quem são os teus escritores favoritos?

Chimamanda Ngozi Adichie, JRR Tolkien, George RR Martin, Terry Pratchett, Kate Morton, Brandon Sanderson, Afonso Cruz, Guy Gavriel Kay, Brian Michael Bendis.

Quem é o teu herói ficcional?

Lorelai Gilmore.