Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Skin Game

Blogue português escrito por uma profissional de farmácia e dedicado à dermocosmética.

Mitos - o que pões na pele vai para o teu corpo

Estamos actualmente a assistir a uma onda de cosméticos bio e orgânicos. Embora não discorde da existência deles, acho que as pessoas que escolhem este tipo de cosméticos devem fazê-lo pelas razões certas e não porque as companhias que os produzem decidem incutir medos infundados. Portanto hoje temos todo um post dedicado a analisar a questão que normalmente muita gente enumera como principal razão para escolher produtos bio e orgânicos e que na verdade é puro mito difundido pelas companhias que oferecem estas alternativas.

 

O que é um cosmético?

 

Temos de começar por aqui para se perceber logo à partida a premissa errada da qual se parte quando se diz que o que se põe na pele vai para o corpo. E dou-vos a definição legal actualmente vigente na Europa: «Produto cosmético» - qualquer substância ou mistura destinada a ser posta em contacto com as partes externas do corpo humano (epiderme, sistemas piloso e capilar, unhas, lábios e órgãos genitais externos) ou com os dentes e as mucosas bucais, tendo em vista, exclusiva ou principalmente, limpá-los, perfumá-los, modificar-lhes o aspecto, protegê-los, mantê-los em bom estado ou corrigir os odores corporais.

E isto é importante porquê? Por causa da zona onde o produto actua: a epiderme. Na verdade a principal diferença entre um medicamento e um cosmético é que o medicamento pode atingir a corrente sanguínea, enquanto que um cosmético não pode.

 

A epiderme

estrutura pele epiderme.PNG

A epiderme é a camada superficial da pele, aquela primeira camada que conseguem ver na primeira imagem. Ampliando, percebe-se que a epiderme é composta por camadas de células e que não há vasos sanguíneos nesta camada. Logo, se os cosméticos não atingem o sistema circulatório, os ingredientes não atingem os restantes órgãos, uma vez que é a circulação sanguínea e linfática que tratam desta distribuição.

Outra coisa a ter em conta é que a pele é um órgão que tem como uma das principais funções servir de barreira contra o meio externo. Se a pele deixasse passar tudo o que lhe metemos em cima como nos querem fazer parecer, não precisávamos de beber água, porque bastava tomarmos banho e a água passava para o nosso corpo. Isto não acontece porque a nossa pele é uma barreira muito impenetrável.

 

Absorção de cosméticos

Estou a ver a vossa próxima pergunta a formar-se na vossa cabeça: "ok, mas se as coisas não passam propriamente para dentro do nosso corpo, então quando os cremes são absorvidos vão para onde?". Os ingredientes que a pele "absorve" ficam na epiderme e vão sendo eliminados juntamente com as células mortas que vão descamando naturalmente.

Para perceberem este processo, remeto-vos de novo para a imagem da epiderme: a camada que contém as células mais novas e ainda vivas é a que está em baixo e conseguem ver que essas células novas têm a forma normal e um círculo que representa o núcleo. À medida que vão olhando cada vez mais para cima, percebem que as células vão ficando achatadas e perdendo o núcleo, o que significa que se tornam células mortas. Este é o processo natural que as células da pele vão seguindo. As células novas aparecem em baixo e vão empurrando para cima as células antigas, que lentamente se vão degradando e morrendo - isto faz com que haja uma migração das células da parte de baixo onde são células vivas até ao topo onde descamam naturalmente (ou então damos-lhes uma ajuda com esfoliantes). Os cosméticos que são absorvidos pela pele vão tentando descer pelos espaços entre as células - mas têm de considerar que estes espaços são muito apertados e não foram desenhados para deixar passar nada, são uma camada protectora. Então, eventualmente os ingredientes que conseguiram ir descendo, chegam a um ponto em que não descem mais e ficam por lá. Eventualmente o espaço onde ficaram acaba por chegar à superfície e eles descamam juntamente com as células.

Assim, os ingredientes "absorvidos" pela pele acabam por sair juntamente com as células, o que significa que nunca foram realmente absorvidos pelo corpo. Mais uma vez, não atingindo a circulação sanguínea eles não são distribuídos pelo corpo e não podem afectar outros órgãos. Além disso, muitos ingredientes têm moléculas tão grandes que apenas actuam à superfície da pele, nem chegando realmente a penetrar pelos espaços entre as células.

(notem que esta explicação é altamente simplificada e o processo é mais complexo do que vos explico aqui, mas a ideia é que percebam o mecanismo geral)

 

"O que pomos na pele vai para o nosso corpo"

Chegando a esta parte já fica fácil de perceber. O nosso corpo tem dois sistemas de distribuição (os canais linfáticos e os vasos sanguíneos) e a única forma de algo ser distribuído pelo corpo é atingir um destes dois sistemas. Um cosmético, por definição, não pode atingir nenhum deles, portanto a distribuição pelo corpo não acontece.

Aquilo que pomos na nossa pele só atinge, portanto, a camada superficial da pele que é principalmente constituída por células mortas e os poucos ingredientes que têm dimensões suficientemente pequenas para irem passando pelas camadas de células acabam por descamar juntamente com elas pelo processo natural de renovação celular da pele.

1 comentário

Comentar post