Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Skin Game

Blogue português escrito por uma profissional de farmácia e dedicado à dermocosmética.

Dermatite seborreica no couro cabeludo (caspa oleosa) - como tratar

Este post tem sido muito pedido e respondo frequentemente a emails acerca deste assunto, por isso já estava realmente na hora de escrever a versão oficial e completa. Se vieram cá parar e estavam interessados em tratamentos para a dermatite seborreica no rosto, já existe um post sobre o assunto. Mas então, como tratar a caspa oleosa? Existem vários ingredientes que são eficazes nesta questão. Se quiserem saber mais acerca da dermatite seborreica, aconselho-vos a espreitar o post que mencionei antes, porque penso que não vale a pena repetir a informação.

 

Dermatite seborreica - Caspa oleosa

A caspa oleosa distingue-se da caspa seca porque fica agarrada ao couro cabeludo e ao início da haste de cabelo - sem ter o efeito de "neve nos ombros" da caspa seca. A caspa é mais amarelada e tende a formar placas amareladas no couro cabeludo, que muitas vezes apresenta vermelhidão. Está muitas vezes associada a prurido intenso e a hiperqueratoses (pele mais espessa) por causa de se coçar afincadamente os mesmos locais e surgem frequentemente feridas no couro cabeludo decorrentes dessa prática.

Nas crianças este tipo de situação é denominada de "crosta láctea", mas essa situação não será abordada neste post. Está também muito associada a adultos entre os 30-60 anos e é muito comum nos homens.

 

Tratamento e ingredientes que funcionam

Como é habitual por aqui, não se discutem tratamentos médicos. Existem algumas alternativas nesse campo e aconselho-vos a irem a um bom dermatologista caso a situação seja de difícil controlo com cosméticos. Dito isto, o que é que podemos fazer com cosméticos? O tratamento mais comum passa por um bom champô usado 2-3x/semana em situação de crise e 1x/semana na fase da manutenção, mas o mais importante a ter em conta aqui é que a dermatite seborreica é crónica e exige que se tenha sempre em conta que não vai desaparecer, daí a necessidade de continuar a utilização do champô de tratamento mesmo quando não está a haver uma crise.

Alguns dos ingredientes que costumam funcionar são o coaltar, piroctona olamina, ácido salicílico, zinco, probióticos e extractos que impeçam a proliferação fúngica. Além disso, é comum fazer-se tratamento complementar com champôs calmantes, pelo que também vos deixo algumas sugestões.

 

 

dermatite seborreica cabelo caspa oleosa.PNG

Champôs de tratamento

Medinfar Trikare K - piritionato de zinco, ácido glicólico, ácido cítrico

La Roche-Posay Kelual DS - piroctona olamina, zinco, probiótico (fermento de Vitreoscilla) [comprar]

Ducray Kelual DS - piroctona olamina, zinco, ácido glicirretínico [comprar]

Phyto Phytosquam Oily Hair - óleo de melaleuca, pimenta preta, quelidónia

Bioderma Node DS - piroctona olamina, ácido salicílico, zinco [comprar]

Isdin Nutradeica Oily Dandruff - piroctona olamina, ictiol pale, polidocanol 

Rene Furterer Melaleuca Oily Dandruff - óleo de melaleuca, extracto de curbicia [comprar]

Noreva Sebodiane DS - piroctona olamina, AHA, zinco 

 

Tratamentos complementares

Phyto Phytosquam Intense - com piroctona olamina, ácido salicílico e extracto de salgueiro, deve aplicar-se risca por risca no couro cabeludo seco, massajar, deixar actuar 15 minutos e proceder à lavagem depois disso (juntar alguma água e massajar para fazer espuma). É um tratamento intensivo para alturas de crise.

Uriage DS Lotion - com piroctona olamina e água termal, pulverizar directamente no couro cabeludo em alturas de crise [comprar]

Noreva Sebodiane Serum - S-Reguline com acção anti-inflamatória, aplicar algumas gotas e massajar no couro cabeludo em alturas de crise

 

Champôs de alternância

Rene Furterer Astera Fresh - acção calmante e refrescante

Ducray Sensinol - acção calmante [comprar]

Bioderma Nodé Fluido - champô neutro sem detergente [comprar]

 

Tratamentos alternativos

Ducray Sensinol Spray - spray calmante para crises de prurido

8 comentários

Comentar post