Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Skin Game

Blogue português escrito por uma profissional de farmácia e dedicado à dermocosmética.

Começar na dermocosmética

Este não deixa de ser um post um pouco difícil de escrever, porque a verdade é que nós começamos na dermocosmética desde que somos recém-nascidos e nunca a largamos realmente. Vai haver sempre nem que seja um boião azul da Nivea por perto, portanto não há realmente aquele momento em que uma pessoa começa mesmo do zero nestas coisas.

 

Olhando para o meu caso, consigo definir dois momentos que foram quase um início nestas lides: a primeira vez que fui à farmácia comprar uma gama de cuidados de rosto para a minha pele super sensível e quase acneica quando tinha uns 13-14 anos e por volta dos 22-23 anos quando decidi que se calhar era altura de começar a procurar cuidados de rosto diferentes, até porque a minha pele tinha mudado bastante e os que usava já não eram adequados. Suponho que uma grande maioria das pessoas tem este último mais perto dos 30 em que pensa "olha, se calhar começava a usar alguma coisa na cara antes que as rugas comecem a aparecer".

 

De qualquer modo, aqui fica um pequeno guia de como podem começar nestas lides:

 

1. Determinem quais as necessidades da vossa pele

 

Eu sei que esta é provavelmente a mais difícil, mas espreitem este post para uma ajuda. Vai sempre ter a ver com aquilo que sentem que a vossa pele faz. E aqui fica uma mini checklist para procurarem questões que queiram ver resolvidas acerca da vossa pele:

  • excesso de oleosidade
  • poros muito visíveis
  • acne
  • pele rugosa
  • pele sem brilho
  • manchas
  • pele seca (dificuldade em absorver produtos, rugosa, perda de elasticidade, sensação de repuxamento)
  • pele desidratada (absorção muito rápida de tudo o que é colocado na pele, descamação, sensação de repuxamento)
  • rugas/rídulas
  • prevenção de fotoenvelhecimento
  • sensibilidade
  • rosácea
  • dermatite seborreica
  • psoríase
  • dermatite atópica

 

2. Procurem produtos adequados

 

Agora que já estabeleceram as vossas prioridades de acção, está na hora de encontrar produtos adequados. Em breve vou fazer um post sobre alguns ingredientes que devem procurar para cada questão, que infelizmente tudo o que eu gostava de ter aqui no blogue para usar como referência cruzada entre posts ainda não existe, mas prometo-vos que lá para sexta-feira ele sai.

 

3. Estabeleçam prioridades a nível de produtos

 

Claro que é muito giro ter uma colecção infinita de produtos que resolvem todos os problemas e mais algum, mas a menos que tenham orçamento infinito, isso não vai acontecer às primeiras.

Portanto aqui temos de estabelecer prioridades. O que é que precisam de comprar desde o início?

  • um bom agente de limpeza - aqui procurem em duas frentes: produtos adequados às vossas necessidades e produtos que sintam que seriam capazes de usar todos os dias sem vos dar a preguiça. Não adianta de nada comprarem o melhor bálsamo no mercado se depois olham para ele e pensam "eu não tenho paciência para puxar água quente e esfregar a cara depois de aplicar isto". Conheçam os limites da vossa paciência e pensem na aplicação em várias fases da vossa vida. Assim evitam gastar dinheiro desnecessariamente. Ah, e não esquecer que convém sempre evitar coisas que façam espuma e/ou que deixem a pele mesmo limpinha e a chiar, porque esses produtos estão a remover mais do que deviam da vossa pele. Uma dica: para peles oleosas, e por muito estranho que possa parecer, uma das melhores coisas que podem fazer é apostar num óleo de limpeza porque "semelhante dissolve semelhante". Para peles secas, os leites e bálsamos costumam funcionar muito bem.
  • um ou dois bons séruns - é com os séruns que vocês vão tratar aquilo que realmente vos preocupa, uma vez que têm o melhor poder de penetração. Apostem em marcas que investem em ingredientes específicos por oposição a "extractos de plantas raras apanhados à meia noite enquanto se dança a conga". Esse tipo de coisas dá perfeitamente para um hidratante, porque dele só se quer uma boa protecção e nutrição da pele, mas os séruns servem para funções específicas e é melhor apostar em ingredientes conhecidos e reconhecidos pela eficácia em tratar aquilo que vos preocupa.
  • um hidratante/óleo - dependendo da vossa preferência, podem optar por hidratante clássico em creme ou emulsão ou então por um óleo. Aqui já podem dar largas à imaginação dentro dos aromas que preferem desde que escolham um adequado à vossa pele. Há que ter noção das coisas básicas como se tiverem pele oleosa, afastem-se de tudo o que disser "riche", mas aqui têm mais liberdade. Lembrem-se que os óleos adequados funcionam muito bem em peles oleosas.
  • protector solar - existem protectores solares para todos os gostos e para todos os problemas de pele à face da terra, com vários graus de protecção, com cor ou sem ela, químicos ou físicos, com ou sem nanotecnologia, muitos deles preparados para servir de base à maquilhagem.
  • outros: dependendo daquilo que procuram ver melhorado, podem necessitar de um produto concentrado de aplicação localizada. Este tipo de produtos é muito comum em casos de pele acneica, hiperpigmentação ou pele envelhecida. Se tiverem algum problema localizado, podem optar por resolvê-lo com um destes concentrados em vez de comprarem um sérum específico.

 

4. Vão às compras em sítios que tenham bom aconselhamento

 

Um bom aconselhamento pode sempre dar uma ajuda extra no vosso auto-diagnóstico de pele (às vezes acertamos um pouco ao lado e anos de experiência da pessoa que nos está a atender podem fazer milagres pela nossa pele). Por outro lado, saibam que há limites para o aconselhamento e estão livres de dizer que não a algo. Fujam a sete pés daqueles que vos tentam impingir tudo dentro da mesma marca (ainda não percebi esse mito urbano de que temos de usar todos os produtos da mesma marca e da mesma gama para eles resultarem melhor - se não resultam sozinhos é porque lhes falta qualidade) ou que não sabem discutir princípios activos e fórmulas convosco.

O aconselhamento deve ser uma troca de experiências para chegar aos melhores produtos e não uma imposição de produtos de uma das partes. Mencionem produtos com os quais se deram bem no passado, discutam texturas e eficácia. Um bom conselheiro consegue dar resposta a isto tudo e facilmente chegarão a produtos adequados à vossa pele (não se esqueçam que sem o vosso feedback eles também não podem fazer milagres, digam-lhes o tipo de texturas com que se deram bem, refiram produtos dos quais gostaram, tudo isto ajuda a chegar ao produto mais indicado).

Não se esqueçam que podem sempre pedir amostras, mas que estas de pouco servem a não ser para perceberem se se dão bem com a fórmula (a nível de reacções alérgicas, textura e aroma). Não peçam amostras com o intuito de ver se resulta, porque resultados são coisa para se ver ao fim de um mês e não de dois dias.

7 comentários

Comentar post