Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Skin Game

Blogue português escrito por uma profissional de farmácia e dedicado à dermocosmética.

Problemas de pele do bebé - produtos a escolher

As peles dos bebés e os pânicos induzidos em pais (especialmente de primeira viagem) é uma coisa que me tem acompanhado nos últimos anos. Trago-vos sugestões de cremes que podem usar no tratamento de dermatite da fralda, crosta láctea, dermatite peri-oral, dermatite atópica e maceração da pele. Claro que acontecem várias situações complicadas e é para isso que os médicos existem, mas há muitas situações que são facilmente controláveis com cosméticos. Um dia prometo-vos que faço um post para cada uma das situações, mas por enquanto fiquem com aquilo que recomendo diariamente às pessoas que me pedem ajuda nesta matéria (amigos, leitores ou clientes do trabalho).

 

bebes fralda dentes pele atopica dermatite crosta

 

Dermatite da fralda

  • Isdin Nutraisdin Zn40 [comprar]
  • Isdin Nutraisdin AF (para dermatite da fralda complicada - usar apenas 7 dias) [comprar]
  • Bioderma ABCDerm Change Intensif 
  • Lutsine Eryplast Pasta d'água [comprar]

 

Crosta láctea (escamas amareladas no couro cabeludo)

  • Uriage Bebé Creme Crosta Láctea [comprar]
  • Bioderma ABCDerm Baby Squam [comprar]
  • Ducray Kélual Crosta Láctea [comprar]

 

Dermatite peri-oral (vermelhidão à volta da boca, muitas vezes correspondente à zona da chucha)

  • Isdin Peri-Oral
  • Bioderma ABCDerm Peri Oral [comprar]

 

Pele atópica (pele do corpo muito seca, rosto com vermelhidão e pequenos altos)

  • Isdin Nutratopic Pro-AMP rosto [comprar]
  • Bioderma Atoderm Intensive Creme [comprar]
  • A-Derma Exomega Creme [comprar]

 

Pele macerada (zonas constantemente húmidas - pregas de pele, zona da fralda)

  • Bioderma Cicabio Loção [comprar]
  • Avène Cicalfate Loção Secante [comprar]

Mitos - o que pões na pele vai para o teu corpo

Estamos actualmente a assistir a uma onda de cosméticos bio e orgânicos. Embora não discorde da existência deles, acho que as pessoas que escolhem este tipo de cosméticos devem fazê-lo pelas razões certas e não porque as companhias que os produzem decidem incutir medos infundados. Portanto hoje temos todo um post dedicado a analisar a questão que normalmente muita gente enumera como principal razão para escolher produtos bio e orgânicos e que na verdade é puro mito difundido pelas companhias que oferecem estas alternativas.

 

O que é um cosmético?

 

Temos de começar por aqui para se perceber logo à partida a premissa errada da qual se parte quando se diz que o que se põe na pele vai para o corpo. E dou-vos a definição legal actualmente vigente na Europa: «Produto cosmético» - qualquer substância ou mistura destinada a ser posta em contacto com as partes externas do corpo humano (epiderme, sistemas piloso e capilar, unhas, lábios e órgãos genitais externos) ou com os dentes e as mucosas bucais, tendo em vista, exclusiva ou principalmente, limpá-los, perfumá-los, modificar-lhes o aspecto, protegê-los, mantê-los em bom estado ou corrigir os odores corporais.

E isto é importante porquê? Por causa da zona onde o produto actua: a epiderme. Na verdade a principal diferença entre um medicamento e um cosmético é que o medicamento pode atingir a corrente sanguínea, enquanto que um cosmético não pode.

 

A epiderme

estrutura pele epiderme.PNG

A epiderme é a camada superficial da pele, aquela primeira camada que conseguem ver na primeira imagem. Ampliando, percebe-se que a epiderme é composta por camadas de células e que não há vasos sanguíneos nesta camada. Logo, se os cosméticos não atingem o sistema circulatório, os ingredientes não atingem os restantes órgãos, uma vez que é a circulação sanguínea e linfática que tratam desta distribuição.

Outra coisa a ter em conta é que a pele é um órgão que tem como uma das principais funções servir de barreira contra o meio externo. Se a pele deixasse passar tudo o que lhe metemos em cima como nos querem fazer parecer, não precisávamos de beber água, porque bastava tomarmos banho e a água passava para o nosso corpo. Isto não acontece porque a nossa pele é uma barreira muito impenetrável.

 

Absorção de cosméticos

Estou a ver a vossa próxima pergunta a formar-se na vossa cabeça: "ok, mas se as coisas não passam propriamente para dentro do nosso corpo, então quando os cremes são absorvidos vão para onde?". Os ingredientes que a pele "absorve" ficam na epiderme e vão sendo eliminados juntamente com as células mortas que vão descamando naturalmente.

Para perceberem este processo, remeto-vos de novo para a imagem da epiderme: a camada que contém as células mais novas e ainda vivas é a que está em baixo e conseguem ver que essas células novas têm a forma normal e um círculo que representa o núcleo. À medida que vão olhando cada vez mais para cima, percebem que as células vão ficando achatadas e perdendo o núcleo, o que significa que se tornam células mortas. Este é o processo natural que as células da pele vão seguindo. As células novas aparecem em baixo e vão empurrando para cima as células antigas, que lentamente se vão degradando e morrendo - isto faz com que haja uma migração das células da parte de baixo onde são células vivas até ao topo onde descamam naturalmente (ou então damos-lhes uma ajuda com esfoliantes). Os cosméticos que são absorvidos pela pele vão tentando descer pelos espaços entre as células - mas têm de considerar que estes espaços são muito apertados e não foram desenhados para deixar passar nada, são uma camada protectora. Então, eventualmente os ingredientes que conseguiram ir descendo, chegam a um ponto em que não descem mais e ficam por lá. Eventualmente o espaço onde ficaram acaba por chegar à superfície e eles descamam juntamente com as células.

Assim, os ingredientes "absorvidos" pela pele acabam por sair juntamente com as células, o que significa que nunca foram realmente absorvidos pelo corpo. Mais uma vez, não atingindo a circulação sanguínea eles não são distribuídos pelo corpo e não podem afectar outros órgãos. Além disso, muitos ingredientes têm moléculas tão grandes que apenas actuam à superfície da pele, nem chegando realmente a penetrar pelos espaços entre as células.

(notem que esta explicação é altamente simplificada e o processo é mais complexo do que vos explico aqui, mas a ideia é que percebam o mecanismo geral)

 

"O que pomos na pele vai para o nosso corpo"

Chegando a esta parte já fica fácil de perceber. O nosso corpo tem dois sistemas de distribuição (os canais linfáticos e os vasos sanguíneos) e a única forma de algo ser distribuído pelo corpo é atingir um destes dois sistemas. Um cosmético, por definição, não pode atingir nenhum deles, portanto a distribuição pelo corpo não acontece.

Aquilo que pomos na nossa pele só atinge, portanto, a camada superficial da pele que é principalmente constituída por células mortas e os poucos ingredientes que têm dimensões suficientemente pequenas para irem passando pelas camadas de células acabam por descamar juntamente com elas pelo processo natural de renovação celular da pele.

Acne na vida adulta - como tratar

Quem me acompanha há algum tempo sabe que tive ali uma crise de acne há cerca de ano e meio atrás. Aquilo que não sabem é que não foi assim uma crisezita, fiquei mesmo com acne inflamatória que me doía quando me ria ou se fosse um bocado mais expressiva. Isto numa pessoa que nunca tinha tido acne que merecesse esse nome e a culpa foi da pílula, ou melhor, a culpa foi da resposta do meu organismo ao facto de eu ter parado de tomar a pílula. Entretanto já respondi a tantos e-mails de outras pessoas que sofrem do mesmo mal que achei por bem escrever um post sobre o assunto. Vamos por partes e vamos já começar com uma parte essencial...

 

Mudar a alimentação

 

A verdade é que se for para comprar cremes estamos sempre prontos a encontrar o próximo milagre. Acreditamos piamente que vai ser o próximo creme que nos vai salvar, mas nunca somos capazes de achar que estamos a fazer alguma coisa mal na alimentação. Portanto começo já por aqui:

  • reduzir o açúcar ingerido - o açúcar é pró-inflamatório e a acne é uma doença inflamatória. Acho que isto deverá chegar para justificar por que será boa ideia cortar no consumo de açúcar (já para não falar em todos os outros benefícios desta decisão).
  • aumentar o consumo de Vitamina A - a Vitamina A tem estudos que comprovam a sua eficácia na acne (daí que se usam derivados desta vitamina no tratamento tópico e oral da acne), por isso aumentar o consumo de alimentos ricos em Vitamina A tem vantagens na pele acneica. Sugestões: cenoura, batata-doce, pimento vermelho, manga, espinafres, abóbora.
  • aumentar o consumo de magnésio e zinco - aumentar o consumo de magnésio e zinco parece ter grandes benefícios para o controlo da oleosidade. Sugestões: amêndoas com pele, marisco, gérmen de trigo, espinafres, abacate
  • escolher boas gorduras: reduzir o consumo de gorduras saturadas e aumentar o consumo de ómegas 3 e 6 auxilia o tratamento da acne. Sugestões: linhaça, peixes gordos, sementes de chia, frutos secos, espinafres
  • reduzir o consumo de álcool: o álcool nunca irá ajudar em nada na pele e a acne é outra doença que não beneficia em nada com o consumo de álcool.
  • escolher chocolate com elevada percentagem de cacau: o chocolate não parece estar relacionado com a acne, estando no entanto geralmente associado por causa da elevada quantidade de açúcar que geralmente contém. Optar por chocolate negro com pelo menos 70% de cacau reduz drasticamente a problemática associada ao chocolate.
  • reduzir a ingestão de lacticínios: não necessariamente por causa dos lacticínios em si, mas por causa das hormonas. Se conseguirem obter "leite orgânico" (sem utilização de hormonas na produção ou agro-tóxicos) poderão consumir lacticínios sem qualquer problema.

 

Usar uma boa rotina de pele

 

Passamos então àquilo que vos trouxe por cá (mas nada de saltar directamente para esta parte, que a primeira é mesmo muito importante). Durante as crises mantenham uma rotina de pele simples, com recurso a poucos produtos, mas que sejam eficazes. Deixo-vos as minhas sugestões:

 

acne_adulto_pilula_produtos_cosmeticos.PNG

Limpeza - uma limpeza não agressiva. A ideia é que a pele fique livre de excesso de sebo e poluentes, mas não excessivamente deslipidada.

  • Bioderma Sensibio Gel [comprar]
  • IFC Biretix Cleanser

 

Calmante - podem optar por uma água termal simples, mas gosto mesmo muito da Serozinc por ser enriquecida com zinco.

  • La Roche-Posay Serozinc [comprar]

 

Ácidos - em crises de acne tenho mais tendência para aconselhar ácido salicílico, pois tem afinidade para a gordura e acaba por conseguir penetrar mais profundamente nos poros. Contudo, podem usar AHA como o glicólico, especialmente para tentar reduzir as marcas de cicatrizes. Outra alternativa é utilizar derivados do retinol.

  • YOUTH LAB. Cleansing Radiance Mask (ácido glicólico a 6%)
  • Bioderma Sébium Sérum (ácido glicólico a 15%) [comprar]
  • La Roche-Posay Effaclar Lotion (ácido salicílico) [comprar]
  • La Roche-Posay Effaclar Duo+ (ácido salicílico) [comprar]
  • The Ordinary Salicilyc Acid 2% (ácido salicílico)
  • NeoStrata Salizinc Gel (ácido salicílico) [comprar]
  • IFC BiRetix Duo (retinol)

 

Óleos - sou fã de óleos para peles oleosas desde que devidamente escolhidos. Trago-vos um à base de óleo de alfazema e um com ésteres de ácido retinóico.

  • Skin Owl Lavender Drops
  • Sunday Riley Luna

 

Protector solar - o FusionWater há-de ser sempre o meu amor em termos de protectores solares. E se estão a fazer tratamentos com ácidos vocês PRECISAM de um factor 50 de largo espectro.

  • ISDIN FusionWater SPF 50+ [comprar]

Da saga do casamento - parte 2

Coisas que não mudaram e provavelmente nunca vão mudar: continuo a referir-me ao Nelson como o meu namorado e ele continua a referir-se a mim como a namorada dele - fazemos quase high fives quando um de nós se lembra de dizer noivo/noiva. Tudo aponta para que passe para pessoa casada sem nunca me ter habituado a dizer noivo e não tem mal nenhum. É uma mistura de esquecimento com o facto de achar que dizer noivo é quase um "uuuhhh já viste o meu anel? eu vou casaaaaar" quando na realidade as pessoas que não sabem por esta altura não precisam de saber e não têm nada a ver com o assunto. Nada contra quem usa noivo/noiva, é só mesmo a sensação que tenho quando uso a palavra.

 

Coisas que não mudaram, mas que já mudavam: toda a gente tem opiniões vincadas sobre casamentos. Rebolo a rir com posts de "7 coisas obrigatórias no seu casamento" e "Regras que não pode esquecer", porque geralmente metade do que referem não se enquadra minimamente com aquilo que queremos para nós. Toda a gente tem uma lista infindável de "tens de" e "é assim que se faz" que na realidade estão a milhas de serem obrigatórios. Outra coisa que me deixa possessa é todo o frufru de que "o casamento é o dia da noiva". Ora porra, mas então eu vou casar comigo própria ou quê? A ideia base disto tudo não é celebrar a união com outra pessoa que é igualmente importante nesse dia? Note-se que já cheguei a dar este sermão a fornecedores, porque detesto quem vem ter comigo e ignora a pessoa de 1,80m que está ali ao meu lado.

 

Coisas que mudaram, felizmente: as coisas abradaram (e muito). Temos ido contratando um ou outro fornecedor (já contratámos transporte, músicos para a igreja e DJ), temos ido a alguns eventos (adorámos o da Simplesmente Branco e aconselho-vos a que apostem nesse estilo de eventos - showrooms pequenos de quintas com vários fornecedores com quem habitualmente trabalham ou organizados por wedding planners - pelo menos para nós foi bem melhor do que o caos absoluto da Exponoivos). As coisas estão a andar lentamente, que é o que se quer até porque só casamos daqui a um ano. Já temos padrinhos e menina das flores (que vai estar numa idade óptima para fazer uma birra à porta da igreja, daquelas mesmo épicas), já temos os fornecedores mais importantes. Só me chateia não termos igreja porque só em Setembro permitem fazer marcações para 2018.

 

Conselhos para quem vai andar nestas andanças:

  • Ritmo e opiniões alheias: façam as coisas ao vosso ritmo e (só) ouçam os conselhos de quem vos conhece bem. O casamento é vosso e têm direito de terem aquilo que querem, as regras e obrigatoriedades são mais linhas orientadoras do que leis escritas em pedra. MAS vocês podem realmente a não considerar algum aspecto que outras pessoas se podem lembrar. Connosco tem sido a família próxima e amigos próximos a dar feedback.
  • Fornecedores: falem com o número de fornecedores que vos parecer certo. Nós somos um casal que opta por ver o menor número possível de coisas porque optámos sempre por pesquisar muito online e pedir conselhos aos nossos outros fornecedores (que estão habituadíssimos e acabam por conhecer imensos fornecedores à conta disso. Eu sou a pessoa que depois de ver a segunda quinta fez birra porque não queria ver mais nenhuma e foi levada quase pelas orelhas pelo noivo e madrinha para ver a terceira quinta - sim, ficámos com a segunda e só vimos três ao todo. Também contratámos os únicos músicos com quem reunimos e os fotógrafos foi igual. Isto não significa que este tipo de abordagem seja a certa para toda a gente, por isso se acharem que precisam de visitar 20 quintas para terem a certeza que escolheram a melhor possível e isso não vos ocupa demasiado tempo para aquilo que querem gastar, força.
  • Pesquisa: esta foi a parte que mais nos custou, o "por onde é que começo?". Para mim a resposta acabou por ser fácil quando parei de panicar - comecei pela maquilhadora. Sempre soube que seria a Bárbara Brandão a maquilhar-me se um dia me casasse, por isso muita coisa partiu do perfil de Facebook dela. Vi os fornecedores com quem trabalha (muitas vezes taggam todos os fornecedores de um casamento numa foto e fica fácil pesquisar coisas com as quais se identificam). Foi através da Bárbara que descobrimos os nossos fotógrafos, transporte e cabeleireira. Depois aconselho-vos sites como o Casamentos.pt (se bem que aquele fórum, como muitos, está cheio de gente azeda que gosta de chamar maluco a todo o ser humano que discordar da sua opinião), o Zankyou (os vencedores dos Ziwa foram um bom modo de pesquisar fornecedores na nossa área) e o Simplesmente Branco.
  • Falem com quem se casou recentemente: os nossos amigos que casaram em Setembro têm sido uma ajuda preciosa. Muitas vezes só precisamos de saber coisas como "como é o procedimento normal para fazer X?" e quem melhor do que eles para explicar? (obrigada J, tens sido uma fofa com paciência infinita!)
  • Se estiverem a dar em malucos, parem para respirar. É suposto estarem a preparar um momento muito feliz das vossas vidas, por isso se só parece um trabalho extra, respirem e tirem uma folga. A ideia não é fartarem-se um do outro e ficarem sem tempo para mais nada.